Ministro diz que “políticos poderosos” estão por trás de morte de Marielle

Raul Jungmann afirmou ter certeza de tal informação

Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, disse, na sexta-feira (23), que tem certeza que “políticos poderosos”, agentes públicos e milicianos estão envolvidos no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), ocorrido em março deste ano.

O ministro também afirmou que a Polícia Federal foi impedida por autoridades do estado do Rio de Janeiro ao menos três vezes de investigar o caso. Mas, agora o órgão vai investigar um suposto complô integrado por autoridades públicas para impedir o atraso no esclarecimento do caso.

“A Polícia Federal é uma das melhores polícias investigativas do mundo e, eu acredito, que vai avançar. Vai avançar esclarecendo o complô dos poderosos, dos podres poderes, que eu tenho certeza que é fundamental acabar com eles para o bem da sociedade do Rio de Janeiro”, disse Jungmann.

Raquel Dodge, procuradora-geral da República teve acesso a duas testemunhas. Uma é o Orlando Curicica e a outra permanece no anonimato, pois fez gravíssimas acusações a agentes públicos do Rio de Janeiro. O ministro também argumentou que a federalização do caso afetaria a autonomia das autoridades estaduais.  

Quando questionado sobre a demora para resolver o caso, Jungmann afirmou que queria que tivesse sido esclarecido antes. Ele também disse que concorda com declaração recente do secretário da segurança do Rio, general Richard Nunes, na qual afirmava que milicianos estariam envolvidos na morte da vereadora.

Leia também: Participantes do assassinato de Marielle são identificados, diz secretário

Mulher é assassinada por postar mensagem que irritou traficantes

Siga CLAUDIA no Instagram