“Minha existência como mulher conduz tudo o que faço”, diz Tulipa Ruiz

Cantora paulista prepara-se para a apresentação no MecaInhotim, que acontece em maio e se empenha em ações pela recuperação de Brumadinho

Passados pouco mais de três meses do desastre de Brumadinho, quando a barragem do Córrego do Feijão rompeu e deixou um rastro de destruição pela lama tóxica, a cidade aguarda o MECAInhotim, festival de arte, cultura e conhecimento que acontece entre os dias de 17, 18 e 19 de maio no Instituto Inhotim. Entre as atrações confirmadas, além de Pitty, Duda Beat e Gilberto Gil, está a cantora Tulipa Ruiz, que prepara uma apresentação especial para a ocasião. “Ainda não toquei com essa banda e este repertório em Minas Gerais, então vai ser inédito”, conta a CLAUDIA com exclusividade.

É a primeira vez dela no evento, que acontece desde 2015 e reúne mais de 9 mil pessoas todos os anos. “Ainda não conheço o museu, vou preencher essa lacuna. Gosto de tocar em festivais por conta dos encontros, tanto entre as bandas quanto de público. Faço questão de estar presente neste ano de luto e luta por Brumadinho”, conta.

Os moradores da cidade trabalham, dia após dia, para se reerguer. A organização do evento, que é a plataforma cultural MECA, foi responsável por criar e fazer a primeira doação do fundo solidário PróBrumadinho, com aplicações de recursos previstas para médio e longo prazo. Eles ainda planejam uma série de ações beneficentes, como promoção de workshops e cursos profissionalizantes dedicados aos moradores da região dentro e fora do evento. “Eles precisam retomar a atividade econômica para se recuperar, para o comércio funcionar, para entender como a vida segue depois desse crime absurdo. Sabemos que a população atingida anos atrás de forma semelhante, em Mariana (MG), até hoje não recebeu todas as suas indenizações”, argumenta Tulipa.

Ela vai subir ao palco acompanhada da banda, chamada Pipoco das Galáxias, que é formada por Gustavo Ruiz, nas guitarras e direção musical; Gabriel Mayall (Bubu) no baixo e Samuel Fraga na bateria. “Esse show concentra de forma muito potente o repertório dos meus quatro discos, Efêmera (2010), Tudo Tanto (2012), Dancê (2015) e Tu (2017)”, entrega. Tulipa garante ainda que podemos contar com os hits “Só Sei Dançar Com Você”, “Efêmera”, “Pedrinho”, além da música “Banho”, composição que entrou no disco mais recente da cantora Elza Soares.

Vencedora do Grammy Latino em 2015 de Melhor Álbum Pop Contemporâneo e indicada a Artista Revelação, ela arrebata os fãs com baladas dançantes e gostosas de ouvir. Sobre o trabalho, reflete que a existência como mulher é determinante para o resultado do que chega ao público. “Ela me conduz em tudo que eu faço e entender o poder que há nisso tem sido cada vez mais orientador. Acho que me impacta não só como artista, mas como cidadã, como companheira, como irmã, como amiga, como eleitora, como brasileira”, finaliza.