Menino muçulmano é preso por levar relógio para escola; objeto foi confundido com bomba

Um misto de preconceito e injustiça que abalou a internet

Ahmed Mohamed, de 14 anos, mora no Texas adora inventar coisas novas. Dedicado aos estudos de ciências e tecnologias, criou o seu próprio relógio digital e levou à escola para mostrar aos seus colegas. Mas, quando a professora viu, achou que fosse uma bomba e chamou a polícia. Ele foi interrogado e levado para o centro de detenção juvenil local por ser um criminoso suspeito. 

“Os policiais me diziam: ‘Você tentou construir uma bomba, certo?’. E eu respondia que só quis fazer um relógio”, explica o jovem muçulmano, filho de um imigrante sudanês. Na opinião do pai, Mohamed Elhassan Mohamed, seu filho só quer inventar “coisas boas para a humanidade, mas tudo se complicou porque se chama Mohamed e acabamos de recordar o 11 de Setembro”.

Dallas News Dallas News

Dallas News (/)

Ahmed mostra relógio.

A polícia, durante o interrogatório – que não incluiu nenhum adulto da família de Mohamed – disse que o relófgio parecia “com a bomba de um filme”, segundo Ahmed. “Fizeram me sentir como um criminoso”, afirma ele, que no momento da prisão vestia uma camiseta da NASA.  

Segundo o Dallas News, o Conselho de Relações Islâmico-Americanas investiga o incidente, como um caso de islamofobia.

Reprodução Reprodução

Reprodução (/)

A irmã de Ahmed postou uma foto do irmão no Twitter que foi republicada pelo tecnólogo norte-americano, Anil Dash.

Logo a história já caiu na internet e a repercussão do caso foi mundial. A hashtag #IStandWithAhmed tornou-se viral e milhares de pessoas se manifestaram contra o preconceito e em solidariedade a Ahmed. Entre eles, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a candidata a presidência Hillary Clinton e Mark Zuckerberg, fundador do Facebook.

Reprodução Reprodução

Reprodução (/)

Nos comentários, eles escreveram:

Obama:

“Relógio legal, Ahmed. Quer trazer ele para a Casa Branca? Nós devemos inspirar mais crianças como você para gostar de ciências. E é isso que faz dos Estamos Unidos um bom lugar”.

Hillary:

“Medo e premissas não nos deixam mais seguros – eles nos fazem retroceder. Ahmed, continue curioso e construindo”

Zuckerberg:

“Você provavelmente ouviu a história de Ahmed, um estudante de 14 anos no Texas que construiu sozinho um relógio e foi preso quando levou sua invenção para a escola.

Ter a habilidade de ser ambicioso e construir algo legal merece aplausos, não prisão. O futuro pertence a pessoas como Ahmed.

Ahmed, se algum dia você quiser vir para o Facebook, eu adoraria te conhecer. Continue construindo!”

Em vídeo, o garoto comentou que seu hobby é inventar coisas e nos conta um pouco como tudo aconteceu. Em entrevista, ele disse que gostaria de estudar no MIT, Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Também afirmou que nunca imaginou que seu caso tivesse essa repercussão e, já que chegou onde chegou, gostaria de ajudar todas as crianças que já passaram por situações como essa.