Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Influenciadora desabafa sobre ataques transfóbicos: “Sou odiada por me defender”

Marcela Pantaleão foi vítima de comentários dos gamers Buxexa e Wellington durante uma live de jogo. As agressões continuaram com os seguidores da dupla

Por Nathalie Silva (colaboradora) Atualizado em 13 jul 2021, 17h43 - Publicado em 13 jul 2021, 16h31

Desde de 17 de junho deste ano, a vida da influenciadora trans Marcella Pantaleão não tem sido a mesma. De um dia para o outro, ela viu suas redes sociais com uma enxurrada de agressões virtuais após ser vítima de ataques transfóbicos dos gamers Pedro Buxexa e Wellington Racha. Além Buxexa e Wellington, Bruno Nobru e Lucio Cerol, que também são jogadores, estavam na live em que os comentários ofensivos foram feitos.

“O Nobru comentou numa foto de uma ruiva…botando coraçãozinho no olho. Era uma ruiva de três pernas. Ave Maria”, disse Pedro na transmissão do jogo. Wellington respondeu o comentário de Pedro: ”a minha mulher me mostrou que o Nobru comentou nessa foto aqui e disse:’Isso aqui é um homem’”, comentou na live, fazendo menção à influenciadora. 

Marcella Pantaleão soube dos ataques por meio de um fã clube, que postou o vídeo da transmissão. “A partir daí começou o burburinho. Assim que vi e ouvi [os comentários], fiquei em choque, muito chateada e abalada com a situação. Ver o Nobru naquela situação desconfortável também me deixou mal, pois tenho um carinho muito grande por ele”, lamenta em entrevista a CLAUDIA.

A youtuber usou as redes sociais na hora para demonstrar como ficou decepcionada com a situação.”Tenho tentado ignorar todos esses ataques que não têm motivos. Eu estou recebendo hate por me defender e falar sobre algo que me fere. Até quando nós, que somos vítimas, seremos tachadas como culpadas?”, questionou.

Buxexa relativizou a ofensa, mas pediu desculpas para a influenciadora pelo Instagram. “Rapaziada, fui acusado de ter sido transfóbico e quero falar meu esclarecer aqui. Falei algo na zueira. Em momento algum, mencionei o nome e quem estava na live viu que não foi na intenção. Mas realmente vi que estava errado”, disse Pedro.“E quero pedir perdão de coração à Marcella Pantaleão por tudo”, afirmou.

Já Wellington, o outro participante da live, afirmou que não tinha justificativas para o seu comentário. “Eu errei, assumo, não tem justificativa. Vocês não me verão mais fazendo comentários desse tipo. Só tenho a pedir desculpas a Marcella Pantaleão e a todos que me acompanham. Isso serve de aprendizado para todos”, salientou.

Quanto aos pedidos de perdão, Marcella disse que as palavras não mudam o que aconteceu. “Precisa haver mudanças e interesse em fazer diferente”, pontua. 

Nesse período, Marcella vem recebendo apoio de outras pessoas trans e amigos, mas a situação ainda é intensa e difícil por conta dos ataques. “Está sendo complicado, tudo que eu faço e falo tem sido rebatido pelos fãs do Buxexa de uma forma desagradável. Isso afetou minha vida de uma forma louca, tenho recebido centenas de mensagens transfóbicas e preconceituosas”, revela sobre o trauma após as séries de violências. 

A Garena (Free-Fire Brasil), empresária responsável pelo jogo transmitido durante a live, se posicionou no Twitter contra as atitudes de Buxexa e Racha, retirando a conta de ambos do ar. Eles também não fazem mais parte da plataforma BOOYAH! e do quadro de influenciadores da Garena.

Continua após a publicidade

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade