Mais de 20 mulheres acusam ginecologista de abuso durante consultas

Denúncias surgiram após um perfil anônimo no Instagram relatar um caso de abuso por parte do médico

Mais de 20 mulheres acusam o médico ginecologista e obstetra Orcione Júnior de abusos sexuais durante consultas. Os crimes teriam acontecido na cidade de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia. O caso foi denunciado à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e à Polícia Civil, que instaurou inquérito para apurar a situação.

As denúncias surgiram na última sexta-feira (10) após uma pessoa usar um perfil anônimo no Instagram para relatar um caso de abuso por parte do médico. Orcione atende nas redes pública e privada da cidade.

Depois da publicação, outras vítimas denunciaram os abusos. Os crimes teriam acontecido no consultório do médico, entre 2018 e 2019. A defesa dele nega as acusações.

Captura de tela-Abuso sexual Perfil anônimo no Instagram, após fazer o próprio relato, compartilhou outras denúncias de abuso sexual.

Perfil anônimo no Instagram, após fazer o próprio relato, compartilhou outras denúncias de abuso sexual. (G1/Reprodução)

Segundo Luciana Santos Silva, presidente da Comissão Mulher Advogada, da OAB, 24 mulheres procuraram o órgão pedindo que providências fossem tomadas. “A OAB formalizou esse pedido, todas elas assinaram e, a partir desse momento, a OAB oficiou a autoridade policial, que foi à Delegacia da Mulher, através da doutora Decimária Gonçalves, pedindo providências”, disse.

Ainda de acordo com a presidente, o inquérito foi instaurado e algumas mulheres já foram ouvidas. “Pelo que a gente leu, sobretudo nas redes sociais e com as falas de algumas mulheres lá na OAB, a gente pode vislumbrar, sem dar tanta certeza, porque ainda tem uma investigação em curso, o crime de importunação sexual mediante fraude”, completou.

A delegada Decimária Gonçalves, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Vitória da Conquista, informou que, na segunda-feira, foi aberta uma Investigação Pública Incondicionada, ou seja, que não necessita de depoimento de vítima, porque na ocasião nenhuma mulher ainda havia comparecido à unidade para relatar o caso.

Porém, segundo a polícia, nesta quarta-feira (15), as vítimas começaram a comparecer à delegacia para prestar depoimento. Ainda não há informações sobre quantas mulheres já foram ouvidas pela Polícia Civil.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou que está acompanhando o caso e aguarda a conclusão do inquérito por parte da Polícia Civil para decidir, com base nos autos, se vai oferecer ou não denúncia contra o suspeito.

A defesa de Orcione Júnior informou ao G1, nesta quarta-feira, que o médico nega todas as acusações e que o cliente irá conceder uma entrevista coletiva à imprensa, na sexta-feira (17), para dar sua versão sobre o caso.

Leia também: Pai matou a filha de 13 anos a facadas por denunciá-lo por estupro

+ Jovem se recusa a sair com homem, leva tiro e morre no RS

Siga CLAUDIA no Youtube