Mãe e filho são impedidos de viajar por terem cores de pele diferentes

A técnica de basquete Lindsay Gottlieb teve dificuldade para realizar a viagem de avião que havia programado com a família

A técnica de basquete Lindsay Gottlieb, o marido Patrick Martin e o filho Jordan tiveram dificuldades apara embarcar em um voo de Denver para Oakland, nos Estados Unidos, na última segunda-feira (28). Uma funcionária da empresa aérea escolhida pela família não a deixava seguir viagem por desconfiar que a mulher não era mãe do bebê de 1 ano.

Lindsay é branca e o marido, negro. Assim, Jordan é um bebê mulato. E apesar de o casal ter apresentado o passaporte do filho no momento do embarque, a funcionária pediu a certidão de nascimento do menino e que a família mostrasse fotos no Facebook para comprovar o parentesco.

“A funcionária disse que isso ocorreu porque nós temos sobrenomes diferentes. Mas eu desconfio que seja porque temos cores de pele diferente“, escreveu Lindsay em sua conta oficial no Twitter.

Na rede social, Lindsay também contou como se sentiu com o ocorrido. “Foi humilhante e insensível, para não dizer ineficaz.”

A Southwest Airlines também usou o Twitter para manifestar-se sobre o caso. A empresa aérea afirmou que o procedimento não é típico da companhia. Ela também pediu desculpas à família e afirmou que aproveitará o incidente para “treinar” seus funcionários.

Leia mais: Mulher denuncia caso de racismo em padaria paulistana