Clique e assine com até 75% de desconto

Jovem inglesa é achada morta na Malásia e caso gera comoção no Reino Unido

Nora Quoirin, filha de uma irlandesa com um francês, estava desaparecida há dez dias

Por Da Redação 13 ago 2019, 15h48

Desaparecida há dez dias, o corpo da adolescente Nora Quoirin foi encontrado na manhã de terça-feira (13) e reconhecido horas depois por seus pais, a irlandesa Meabh e o francês Sebastien. A família, que vive em Londres, viajou para a Malásia para passar as férias no resort The Dusun. A jovem desapareceu de seu quarto no dia 4 de agosto e o caso teve grande repercussão na mídia internacional.

O corpo foi encontrado em uma floresta a cerca de 2 km do resort por um grupo de montanhistas locais que se voluntariaram para participar de uma operação de busca que envolveu mais de 350 pessoas. As buscas foram comandadas pela polícia local e contaram com o apoio da National Crime Agency, a Polícia Metropolitana de Londres, e as polícias irlandesa e francesa. Mais de 115 mil libras (cerca de 550 mil reais) foram doados a dois sites de crowndfunding com o objetivo de ajudar a arcar com os custos da busca, que durou dez dias.

A família de Nora Quoirin, que inclui mais duas crianças, chegou à Malásia no dia 3 de agosto com o objetivo de passar duas semanas no país. A adolescente, de 15 anos, nasceu com holoprosencefalia, uma disfunção que afeta o desenvolvimento do cérebro, e, segundo seus pais, não era independente e não ia a lugar algum sozinha.

Veja o que está bombando nas redes sociais

Sebastien, o pai da jovem, acionou o alarme assim que percebeu que sua filha havia sumido do quarto, que estava com uma janela aberta, às 8h da manhã (horário local) de domingo (4). No dia 6 de agosto, seus pais revelaram acreditar que sua filha havia sido sequestrada, ainda que a polícia local estivesse tratando o caso como o de uma pessoa desaparecida.

No domingo (11), a polícia local estabeleceu uma linha telefônica dedicada a receber informações sobre a menina. Na segunda-feira (12), a família recebeu uma doação anônima de 10 mil libras, que foi colocada como recompensa para qualquer um que pudesse fornecer informações que ajudassem a encontrar Nora. O corpo foi encontrado no dia seguinte perto de uma corrente d’água e sem roupa.

Continua após a publicidade

Um exame será feito para tentar identificar a causa da morte na próxima quarta-feira (15). O presidente e o primeiro-ministro irlandeses expressaram seus sentimentos à família e o Ministério da Europa e Relações Exteriores da França disse que a polícia francesa continuará à disposição das autoridades da Malásia até que se entenda melhor as circunstâncias da morte.

A instituição de caridade Lucie Blackman Trust, que auxilia em casos de pessoas desaparecidas, afirmou que pretende continuar dando apoio à família enquanto eles lidam com as notícias. A escola St Bede’s School, em Londres, que era frequentada por Nora, abriu suas portas para quem quiser rezar pela jovem e sua família.

Leia também: Brasil é o segundo pior país para mulheres viajarem sozinhas, diz pesquisa

+ Casos de feminicídio aumentam 44% no 1º semestre de 2019 em São Paulo

Carga mental: você se sente sobrecarregada em casa?

 

Continua após a publicidade
Publicidade