Isabel Allende fala a CLAUDIA sobre feminismo

"Fui feminista a vida toda", diz a escritora

A escritora chilena Isabel Allende, 75 anos, conversou com CLAUDIA por telefone sobre seu novo livro, Muito Além do Inverno. Durante a entrevista, ela falou sobre a importância de o feminismo estar ganhando cada vez mais espaço nas discussões diárias e na mídia.

Isabel, além de ser autora de livros com personagens femininas fortes e se declarar feminista há décadas, possui uma fundação desde 1996 que ajuda meninas em situação de risco. A CLAUDIA, a escritora defende a necessidade de um maior investimento social nas mulheres.

Leia o depoimento:

“Eu sou feminista. Fui feminista a minha vida toda. Eu tenho trabalho com mulheres e para mulheres desde sempre. Com isso, notei que se você empodera e ajuda mulheres, especialmente as que vivem em sociedades pobres, você dá poder à família e, eventualmente, à comunidade.

Para cada dólar que você gastar com uma mulher, esse efeito se aplica. Não é o mesmo com os homens. Mesmo assim, a maior parte dos programas filantrópico e dos governos ser voltada para os homens. Apenas recentemente o mundo percebeu a importância de se dar poder às mulheres, porque tudo muda quando você as empodera.

As coisas estão mudando porque agora existe mais educação, mais informação e mais conexão. As mulheres agora sabem sobre feminismo e sobre os direitos delas. Antes, elas não sabiam [apesar de o feminismo já existir]. Ter mais informação significa mudanças mais rápidas.

Houve um tempo em que havia uma reação negativa sobre feminismo. Jovens mulheres não queriam ser chamadas assim, porque ser feminista não era sexy. Mas agora, as jovens da geração da minha neta, que estão com seus 20 e poucos anos ou são adolescentes, sabem a importância de defender os seus direitos. Não apenas seus direitos como mulher, mas também como LGBTs e outras formas de gênero. Eu acredito que isso seja um passo a frente muito importante.”