Horário de verão vai acabar, diz Bolsonaro

Segundo ele, "o martelo está quase batido" sobre o assunto

O presidente Jair Bolsonaro, declarou nesta sexta-feira (5), que deve acabar com o horário de verão já neste ano. A declaração foi feita durante um café da manhã com jornalistas convidados, no Palácio do Planalto. Segundo ele, “o martelo está quase batido” sobre o assunto.

O governo do ex-presidente Michel Temer já havia avaliado o fim do horário de verão, em 2017. Naquele ano, a economia gerada havia caído de R$ 405 milhões para R$ 159 milhões, segundo o Ministério de Minas e Energia. Essa queda foi causada pela mudança no perfil de uso da energia, cujo pico de consumo se concentrava nas horas mais quentes do dia devido ao uso do ar-condicionado.

Ainda de acordo com o ministério, o Brasil economizou cerca de R$ 1,4 bilhão desde 2010 por adotar o horário de verão. Entre 2010 e 2014, os consumidores economizaram R$ 835 milhões em energia com a prática.

No horário de verão, adianta-se o relógio em 1 hora, geralmente entre os meses de outubro e fevereiro. Em média, a sua vigência é de 120 dias. Seu objetivo principal é economizar energia elétrica ao aproveitar a luz do sol retardando o início da noite.

O Brasil adotou o Horário Brasileiro de Verão pela primeira vez durante o governo de Getúlio Vargas, em 1931. Sua adoção foi revogada em 1933, tendo sido sucedida por períodos de alternância entre sua aplicação ou não.

No mundo, 70 países adotam o horário diferenciado, entre eles o Canadá, Austrália, México, Nova Zelândia e Chile. Por outro lado, Rússia, Japão e China são alguns dos países que não adotam a prática.

Leia mais: Elza Paulina é primeira mulher a comandar Guarda Civil Metropolitana

+ WhatsApp lança a função mais aguardada em relação a grupos

Siga CLAUDIA no Youtube