CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Guaianases lidera ranking de casos de feminicídio em São Paulo

De acordo com o Mapa da Desigualdade, bairro foi o mais letal para as mulheres em 2020, comparado a 65 distritos que não registraram nenhuma ocorrência

Por Da Redação 21 out 2021, 15h34

O bairro de Guaianases, localizado no extremo Leste da região metropolitana de São Paulo, foi o que mais registrou casos de feminicídio em 2020, se comparado a outros 65 distritos da cidade. As ocorrências se apresentaram até 42 vezes mais do que em outros locais que fizeram parte do estudo do Mapa da Desigualdade 2021, divulgado nesta quinta-feira (21) pela Rede Nossa São Paulo

A pesquisa, que teve como base os dados de 2020 dos 96 distritos da capital paulista, revelou que no ano passado, Guaianases registrou uma média de 9,5 feminicídios, para cada 10 mil mulheres residentes com idade entre 20 a 59 anos. 

O número se torna altamente alarmante quando considera-se que em 65 dos distritos não foram registrados nenhum caso de homicídio doloso de mulheres, motivados apenas pela condição das vítimas serem do sexo feminino. 

Mapa da Desigualdade 2021 -Feminicídio
Mapa da Desigualdade 202/Reprodução

Seguido de Guaianases está o bairro do Brás, no Centro, que apresentou o segundo maior número de feminicídios, com uma média de 3,9 casos para cada dez mil mulheres que moram no local. Socorro, na Zona Sul, aparece em terceiro lugar no ranking com uma média de 2,78 casos, enquanto o Parque do Carmo aparece em quarto, com 2,74 registros.

Ainda que os números dos outros colocados também sejam altos, ao compararmos vemos uma discrepância de 5,9 pontos na média do primeiro colocado do ranking em relação ao segundo, contraste que se torna ainda maior comparado ao terceiro e quarto lugar, representando uma diferença de 6,72 e 6,76, respectivamente. 

Veja o ranking completo:

Mapa da Desigualdade 2021

Continua após a publicidade

Violência Contra A Mulher

A pesquisa também trouxe na sessão de Direitos Humanos registros de casos de violência contra as mulheres com idade entre 20 a 59 anos. 

A região da Sé, no Centro, se destacou por ser o distrito com o maior número de registros. Em média foram registrados cerca de 750,5 casos para cada 10 mil moradoras da região.

O Brás, também localizado na região central, aparece na segunda posição com 597,4 casos.

Em contrapartida, o bairro da Vila Formosa, na Zona Leste, foi considerado a região da capital paulista com o menor número de registros de violência contra a mulher ao registrar, em média, 49,4 de ocorrências. O número expressivo é 15 vezes menor do que os apresentados pelo bairro da Sé.

Veja o ranking completo:

Mapa da Desigualdade 2021 - Tabela violência contra a mulher
Mapa da Desigualdade 2021/Reprodução

Para tais resultados foram considerados os cinco tipos de violência apresentados pela Lei Maria da Penha: violência física, psicológica, moral, sexual e patrimonial. No entanto, considerando que esses tipos de violência costumam ser subnotificadas, os números reais são maiores do que os casos registrados.

Continua após a publicidade

Publicidade