CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Grávida é espancada pelo marido e morre durante parto prematuro

Oberdan Gonçalves Braga, principal suspeito, chegou a ser liberado pela Polícia, mas agora está preso

Por Da Redação Atualizado em 18 fev 2020, 10h56 - Publicado em 7 mar 2019, 11h18

Maria Edjane de Lima, de 35 anos, morreu na madrugada de terça (5) no momento de um parto prematuro de emergência. Ela foi espancada pelo marido, Oberdan Gonçalves Braga, de 45 anos, em Barra Mansa, no Rio de Janeiro.

A Polícia Militar informou que a mulher deu entrada no Hospital da Mulher com sangramento vaginal e sinais de agressão. Ela disse que foi chutada, inclusive na barriga. O sangramento não cessou e ela teve descolamento de placenta. 

A bebê nasceu de 27 semanas e está internada na UTI. Maria Edjane teve problemas respiratórios durante o parto emergencial. Os médicos realizaram procedimentos de reanimação e tentaram conter a hemorragia, mas ela não resistiu e morreu. O corpo foi encaminhado ao IML, que irá apurar a causa da morte.

Reprodução/Arquivo pessoal

A PM disse que o marido foi até o hospital exaltado. Ele foi encaminhado até a 90ª Delegacia de Polícia (Barra mansa), foi ouvido e chegou a ser liberado. Na terça, ele foi preso indiciado pelo crime de lesão corporal seguida de morte.

Maria Edjane pediu socorro pelo WhatsApp a uma vizinha após ser espancada. “Pelo o amor de Deus, me tira daquele inferno, não aguento mais”, disse ela. 

Na conversa, a mulher diz ainda que Oderban não a deixava cozinhar, que ela dormia com fome e no chão porque o colchão era dele. Abaixo, veja imagens das mensagem enviadas.

Raquel Ribeiro/TV Rio Sul/Reprodução
Continua após a publicidade

Publicidade