CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Famosos lamentam a morte de Marielle Franco

Bruna Marquezine, Naomi Campbell e Taís Araújo foram algumas das personalidades que se posicionaram sobre o assassinato da vereadora

Por Danielly Fernandes Atualizado em 16 ago 2018, 16h50 - Publicado em 16 mar 2018, 17h42

Diversas personalidades usaram as redes sociais para protestar contra morte da vereadora Marielle Franco, 38 anos, assassinada a tiros na noite de quarta-feira (14), na região central do Rio de Janeiro.

Quinta vereadora mais votada nas eleições para a Câmara Municipal (46.502 votos), Marielle, costumava postar mensagens de apoio ao movimento negro e aos direitos da mulheres e críticas ao governo de Michel Temer, à intervenção federal no estado e à atuação da polícia.

Leia mais: Munição que matou Marielle era de lote da Polícia Federal

“Essa execução é uma ameaça a todas as vozes que gritam a verdade, que batalham diariamente por mudança. É pra mim o retrato do fim da democracia no Brasil. É a confirmação de que no nosso país, as minorias e as pessoas honestas realmente não têm vez”, publicou a atriz Bruna Marquezine em seu perfil no instagram.

View this post on Instagram

“QUE TEMPOS SÃO ESTES, EM QUE TEMOS QUE DEFENDER O ÓBVIO?” (Bertold Brech) LUTO POR MARIELLE. Por mais uma voz que foi calada. Por mais uma mulher negra que foi assassinada. Mulher que lutava contra o preconceito, contra a desigualdade social. Mãe, de favela, batalhadora, lésbica, feminista, idealista, defensora dos direitos humanos, socióloga, vereadora da Câmara do Rio de Janeiro, a quinta mais votada aliás. Líder instruída, inteligente, humana. Foi executada com 4 tiros na cabeça, quando saía justamente de um debate que falava das conquistas das mulheres negras. Executada porque, numa sociedade injusta como a nossa, ela conquistou muito, voou alto e falou demais. Crime racista. Feminicídio. Eu não sou negra, nem nasci na favela. Nunca serei capaz nem de imaginar o tamanho da luta dessa mulher, e de tantas outras, mas não preciso ter a mesma cor de pele da Marielle pra defender todas suas causas, pra lutar por mais igualdade, pelos direitos das mulheres na sociedade, pelos direitos das mulheres no poder. E sei que muitos homens e mulheres também se solidarizam e que a luta da Marielle não foi em vão, a voz dela se multiplica hoje potentemente por todo o país. LUTO POR ANDERSON também, que estava fazendo seu trabalho e acabou sendo vítima desse crime covarde. LUTO PELO RIO DE JANEIRO, PELO BRASIL, PELA NOSSA SOCIEDADE. Também fomos assasinados, de várias formas. NÃO É COMOÇÃO SELETIVA. Essa execução é uma AMEAÇA a todas as vozes que gritam a verdade, que batalham diariamente por mudança. É pra mim o retrato do FIM DA DEMOCRACIA no Brasil. É a confirmação de que no nosso país, as minorias e as pessoas honestas realmente não têm vez. E fica a pergunta: quem matou Marielle? Mais do que apenas uma pergunta, uma exigência. Exigimos que os criminosos sejam descobertos com eficácia e exemplarmente punidos. Exigimos justiça! E continuaremos lutando pela democracia! Coragem pra seguir! #mariellepresente #lutopormarielle #lutoporanderson 1/3

A post shared by Bruna Marquezine ♡ (@brunamarquezine) on

A modelo britânica  Naomi Campbell também prestou uma homenagem a vereadora através de um post. “Me entristece ouvir que Marielle Franco, que dedicou a vida para lutar contra o racismo, o preconceito e a violência policial no Rio de Janeiro, foi assassinada na última noite”, comentou a modelo.

https://www.instagram.com/p/BgXLeneHWgV/?utm_source=ig_embed

A cantora Elza Soares lamentou a morte da ativista e se disse horrorizada com o ocorrido. “Das poucas vezes que me falta voz. Chocada. Horrorizada. Toda morte me mata um pouco. Dessa forma me mata mais”.

Continua após a publicidade

Tais Araújo, Camila Pitanga, Monica Iozzi e outras tantas personalidades da mídia também se manifestaram nas redes sociais:

View this post on Instagram

#MariellePresente #PorMarielleEAnderson

A post shared by Taís Araujo (@taisdeverdade) on

View this post on Instagram

Vamos transformar a nossa dor na luta que ela travava! Apesar do medo, vamos adiante! #intervençãoéfarsa #mariellepresente

A post shared by Camila Pitanga (@caiapitanga) on

https://www.instagram.com/p/BgU50eyDEFp/?taken-by=senhorita.iozzi

View this post on Instagram

Fiz esses registros quando a vi falar pessoalmente pela primeira vez. Nunca imaginaria que seria a última. Quando ela estava saindo, à francesa, deu meia volta pra se despedir de mim, me chamou pelo meu nome, fiquei toda boba. Votei nela com toda a minha fé e fiz toda a minha família votar. Mulher Forte, defendia causas justas, estava sempre à frente das lutas mais importantes. Meu coração e minha esperança estão dilacerados. Ainda parece mentira, uma piada de muito mal gosto. Hoje o mundo ficou mais triste. #lutopormarielle

A post shared by Nathalia Dill (@nathaliadill) on

View this post on Instagram

Família, hoje não vai ter vídeo. Na verdade até tinha, mas não vou colocar porque não tá fazendo sentido colocar um vídeo que fale sobre qualquer coisa. Para quem não acompanhou ontem aconteceu algo muito triste, muito sério, muito grave, muito preocupante. Marielle Franco foi assassinada. Mulher, jovem, negra, da favela da Maré, mãe, socióloga, defensora dos direitos humanos, mestre em administração pública, ativista e quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro. Nada mais deve mover os nossos corações hoje que a interrupção da sua vida. Marielle Franco era cheia de vida, corajosa, determinada, íntegra. Era uma esperança de renovação. Lutava por aqueles que representava. Lutava por um Brasil mais justo, mais igual, mais democrático. No dia 28 de fevereiro deste ano, Marielle foi nomeada relatora da comissão que vai acompanhar a intervenção no Rio de Janeiro. Desde então, ela vinha denunciando os abusos e a violência policial em Acari. Ontem, dia 14/3, foi assassinada violentamente quando voltava de um encontro na Casa das Pretas. Segundo testemunhas, um carro emparelhou com o veículo em que ela estava com seu motorista, Anderson Pedro Gomes, e dois criminosos efetuaram diversos disparos contra ambos, que morreram na hora. Os criminosos não levaram nada de nenhum dos dois e pelo menos cinco tiros atingiram a cabeça da vereadora. Tiraram de nós um grande exemplo de transformação política. Isso causa uma mistura de indignação, revolta e tristeza. Precisamos fazer tudo que estiver ao nosso alcance para exigir investigação e preservar o legado de Marielle. Suas ideias permanecerão, mais do que nunca, vivas entre nós. Marielle, presente!

A post shared by Jout Jout (@joutjout) on

 

Leia também: Munição que matou Marielle era de lote da Polícia Federal

+ Atos pelo país protestam contra o assassinato de Marielle 

Continua após a publicidade

Publicidade