Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Ex-pacientes criam jogo para explicar câncer para crianças

Iniciativa de mulheres foi premiada em competição internacional de games independentes

Por Da Redação - 28 jan 2018, 19h30

Empreendedoras brasileiras acabam de receber um prêmio internacional na área de games. Ex-pacientes de câncer, elas fizeram parte da criação de um jogo on-line que ajuda crianças, adolescentes e seus familiares depois de um diagnóstico da doença.

Uma delas é Ludmilla Rossi, que teve um câncer raro na língua. A dificuldade de encontrar informações corretas e confiáveis, o medo do tratamento e o tabu sobre a doença a motivaram a, anos depois, ter a ideia de criar um game para desmistificar o câncer para pacientes infantis.

O JOGO

O jogo chama-se Alpha Beat Cancer e é baseado na cartilha do Instituto Beaba, criado por Simone Mozzilli, que também teve a doença.  Em 2011, a publicitária recebeu um diagnóstico de câncer que desenvolvia-se em estágio avançado no abdômen.

O Alpha Beat Cancer, desenvolvido pela Mukutu, foi premiado na categoria escolha da audiência pelo Indie Prize, uma competição internacional de games independentes com outros 60 projetos inscritos, durante o Casual Connect USA 2018, um dos principais reconhecimentos mundiais do setor de games. O evento foi sediado em Anaheim, Califórnia, no Disneyland Hotel.

Continua após a publicidade
Danilo Costa (co-fundador da Mukutu), Gica Yabu (voluntária do Beaba), Ludmilla Rossi (CMO Mkt Virtual e co-fundadora da Mukutu), Yuliya Moshkaryova (produtora da Casual Connect) e Simone Mozzilli (CEO do Beaba) Divulgação/Divulgação

No game, que é gratuito, a criança/adolescente pode brincar, por exemplo, atendendo pacientes e fazendo procedimentos médicos. O objetivo é que aprenda e se familiarize com os termos do mundo oncológico com os quais vai se deparar durante o tratamento, como biópsia e hemograma. Pode ser baixado para iOS ou Android aqui: alphabeatcancer.com.

Um dos objetivos do desenvolvimento do jogo é fazer com que o tema câncer seja conversado abertamente, sem preconceito, o que ajuda na detecção precoce da doença, o que é imprescindível e relevante para o tratamento.

O Beaba (be-a-bá) é uma entidade sem fins lucrativos com a missão de desmistificar o câncer e informar de maneira clara, objetiva e otimista sobre a doença e o tratamento para crianças, adolescentes e seus acompanhantes e tem mais de 15 mil beneficiários.

Leia mais: Maitê Proença falo sobre assédio e sua demissão da Globo

Continua após a publicidade

+ 4 regras de ouro para a prevenção do câncer de mama

Publicidade