Ex-esposa de advogado de Bolsonaro fala pela primeira vez sobre agressão

Élida Souza Matos foi agredida por Admar Gonzaga Neto em junho de 2017

Élida Souza Matos falou pela primeira vez sobre a agressão que sofreu por parte do então marido Admar Gonzaga Neto, na época, em 2017, Ministro do Tribunal Eleitoral e atualmente advogado do presidente Jair Bolsonaro. Admar afirma que o olho roxo da esposa foi causado “pelo tombo que se sucedeu ao escorregão que sofreu sobre o Listerine, e que a levou a bater com o rosto na banheira”. Em entrevista a ÉPOCA, ela contou o que se passou naquele dia.

Não perca o que está bombando nas redes sociais

Segundo Élida, na madrugada de 23 de junho de 2017, ela e o marido haviam voltado para sua casa no Lago Sul, em Brasília, depois de uma festa. Enquanto ele estava no banheiro, seu celular vibrou e ela viu mensagens que, na sua visão, deixavam claro que estava sendo traída. Ao questionar Admar, ele começou a xingá-la de prostituta, arrancou o colchão da cama, jogou contra ela e a empurrou. Além disso, Élida também afirmou que ele arremessou antisséptico bucal contra seu rosto e mandou ela sair de casa. “Ele veio para cima de mim e deu um soco em meu olho”, contou aos prantos.

 (Reprodução/Reprodução)

A filha de Élida, Érica Souza, fruto de um relacionamento anterior, entrou no quarto logo depois da agressão e levou a mãe para denunciar o crime. “Mãe, vamos sair daqui. Não vou permitir que ele faça isso com a senhora. A senhora não merece isso”, disse. Despreocupado, o advogado teria sentado no sofá e dito que esperaria ali a polícia buscar “um ministro do TSE” por causa da denúncia de sua esposa.

Élida se emocionou muito ao contar a história. Admar, que agora atua como advogado do presidente na disputa contra o PSL, continua negando todas as acusações.

Leia mais: Repórter recebe cantada de idosas ao vivo

+ 2ª temporada de SOS Família Digital estreia com episódio sobre fake news

PODCAST – Por que não sinto vontade de transar?

%d blogueiros gostam disto: