Espanha: multidão protesta contra sentença dada a grupo acusado de estupro

300 mil pessoas fizeram ato; Justiça deu penas mais brandas a cinco homens acusados de estupro coletivo

Mais de 30 mil pessoas se reuniram no último sábado (28) no terceiro dia de ato contra a decisão da justiça da Espanha de conferir penas mais brandas a cinco homens acusados de estupro coletivo.

A multidão se reuniu nas ruas de Pamplona, cidade localizada ao norte do país, para manifestar-se contra a decisão da justiça por excluir o crime de estupro da sentença e condenar cada um dos acusados a cinco anos de prisão pelo crime de abuso sexual.

Para os juízes responsáveis pelo caso, o caso não configura-se em estupro por não haver provas de violência ou intimidação – características importantes para categorizar o crime na Espanha. A defesa do grupo alega que a relação foi consensual, porém a vítima nega a afirmação.

O caso

Em 2016, cinco amigos participavam das festas de San Fermín, em Pamplona, quando prometeram a uma jovem de 18 anos que a levariam embora do evento.

Entretanto, em vez de ajudar a jovem a ir para casa, os homens a levaram para um prédio, retiraram sua roupa e a estupraram. Toda a ação ocorrida no edifício foi gravada. A vítima só conseguiu escapar do local no dia seguinte e foi encontrada por moradores locais em estado de choque.

O vídeo do estupro chegou a ser apresentado como prova contra o grupo. Entretanto, os magistrados entenderam que, pelo fato de a vítima não ter se movimentado durante as agressões, houve consentimento por parte da garota.

A defesa da jovem ressalta que a imobilidade deve-se ao estado de choque em que a vítima se encontrava.

Leia mais: Em 75% dos casos de estupro, o autor do crime é próximo à vítima