Empresa é investigada por assédio sexual em seleção de funcionárias

Na escolha de novas colaboradoras era necessário uma espécie de "teste do sofá"

O Ministério Público do Trabalho em Sergipe (MPT-SE) denunciou a empresa de telemarketing e atendimento ao cliente AlmavivA do Brasil por assédio sexual no processo de seleção de funcionárias.

Foi relatado ao MPT-SE que na escolha de novas colaboradoras para empresa era necessário uma espécie de “teste do sofá”.

Segundo informações do UOL, coordenadores e supervisores da empresa forçavam operadoras de telemarketing a relações intimas pois essa seria a “única possibilidade de ascensão profissional dentro da AlmavivA”.

É sabido, por exemplo, que um coordenador da empresa abordava as mulheres nas redes sociais enviando-lhes fotos do órgão sexual para estabelecer relações íntimas.

Em outras passagens, coordenadores e supervisores passavam a mão nos ombros, nos cabelos e falavam nos ouvidos das funcionárias.

A ação movida contra a empresa pede uma indenização de R$500 mil por danos morais a direitos difuso e coletivo. A primeira audiência está prevista para 10 de outubro.

Leia mais: Diretor de “Velozes e Furiosos” é acusado de assédio sexual