Clique e assine com até 75% de desconto

Diplomata demitido do Itamaraty é preso pela Lei Maria da Penha

Já tendo passado pela polícia mais vezes, o homem foi detido por violência doméstica contra sua namorada

Por Da Redação 18 out 2018, 08h49

Demitido pelo Itamaraty em setembro, o diplomata Renato de Ávila Viana, 42 anos, foi preso preventivamente nesta terça-feira (16) pela Lei Maria da Penha. Renato era ex-primeiro-secretário da pasta.

O diplomata cumpria medida protetiva e essa não foi a primeira passagem dele na polícia. Ele é acusado de ter agredido a namorada e está detido na carceragem da Polícia Civil em Brasília.

Foi o Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Núcleo Bandeirante que autorizou o mandato de prisão de Renato, que já foi preso por desacato, lesão corporal e violência contra a mulher na mesma época de sua demissão.

Depois da acusação da primeira violência, o diplomata foi desligado do Ministério das Relações Exteriores no dia 20 de setembro. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União.

Leia também: Mãe de Eliza Samudio conta como neto descobriu crime cometido por Bruno

Agressões contra mulheres

Renato Viana já foi acusado diversas vezes pelo crime de violência contra a mulher. O mais recente aconteceu um dia antes de sua demissão. Seu vizinho chamou a Polícia Militar de Brasília e fez uma ocorrência dizendo que ouviu gritos e pedidos de socorro de uma mulher.

Viana foi encaminhado para a 5ª Delegacia de Polícia. Lá, ele foi autuado por desacato, lesão corporal e violência doméstica.

O diplomata já respondeu a outros dois processos de violência contra a mulher. Em um, ele foi acusado de ter espancado outra namorada, enquanto, no outro, de agredir uma colega diplomata. Viana também é acusado de agressões ocorridas em outros países contra outras mulheres.

Veja mais: Rara aparição: filha de Gisele impressiona por semelhança com a mãe

Siga CLAUDIA no Instagram
Continua após a publicidade
Publicidade