CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

História de Daniella Perez será tema de série documental da HBO Max

Filha de Glória Perez foi assassinada por Guilherme de Pádua, seu companheiro de cena em 'De Corpo e Alma', em 1992

Por Da Redação Atualizado em 16 set 2021, 17h30 - Publicado em 16 set 2021, 17h27

A história da atriz Daniella Perez, assassinada em 1992, vai se tornar uma série documental. Produzida pela HBO Max, a produção contará com cinco episódios e deve chegar à plataforma de streaming em 2022, mas ainda sem data confirmada.

Dirigida por Tatiana Issa e Guto Barra, a obra contará com a participação da mãe da atriz, a autora Glória Perez, além de amigos e familiares, que fornecerão depoimentos sobre o caso, ditando a perspectiva da série.

O caso

O crime aconteceu em 28 de dezembro de 1992. Daniella Perez, na época com 22 anos, foi assassinada a tesouradas pelo também ator Guilherme de Pádua e sua esposa, Paula Tomaz. Na época, a vítima e o assassino atuavam como par romântico na novela De Corpo e Alma, escrita por Glória Perez.

Daniella Perez
Guilherme de Pádua e Daniella Perez na novela “De Corpo e Alma”. Guilherme foi condenado por assassinar a atriz, em 1992 Rede Globo/Divulgação

A motivação do delito teria sido a redução do tempo de tela de Guilherme na novela. Tanto ele quanto a esposa foram condenados à 19 e 18 anos de prisão, respectivamente, mas foram soltos em 1999.

A atitude de Pádua foi uma das coisas mais impactantes no caso. Na manhã seguinte ao crime, antes que a identidade do assassino fosse confirmada, o ator, que já era considerado suspeito, se juntou com outros artistas do elenco da novela para consolar a mãe da vítima. 

Continua após a publicidade

Incrédulos da suspeita sobre ele, os colegas da trama chegaram a defendê-lo, mas a autoria do homicídio foi confirmada pela polícia naquele mesmo dia. 

O caso chocou o país e a história é considerada um dos homicídios mais famosos do Brasil, não só pelos requintes de crueldade, mas por sugerir que a ficção invadiu a realidade. 

Após o fato histórico, houve mudanças na lei brasileira. Desde então, o homicídio é considerado um crime hediondo, causa pela qual a mãe da vítima militou arduamente.

Ainda em 2016, Glória Perez e Raul Gazolla, ex-marido de Daniela Perez, moveram um processo por danos morais contra Guilherme e Paula Tomaz. Com a causa ganha, eles receberam indenizações dos assassinos. Dentre os valores pagos estão os referente às despesas funerárias. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade