Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Como assim, sem máscaras?

Rede de cinema americana AMC anuncia que vai reabrir em julho e não vai exigir uso de máscaras para os clientes onde não for obrigatório

Por Da Redação - Atualizado em 18 jun 2020, 21h20 - Publicado em 18 jun 2020, 21h03

Enquanto a aposta da volta dos drive-ins como alternativa para o cinema é a que ganha fôlego, a rede americana de salas de projeção, a AMC anunciou hoje em nota que vai reabrir 450 de suas salas no dia 15 de julho e que não será obrigatório o uso de máscaras dentro das salas fechadas. Isso porque, nos Estados Unidos, nem todos os estados estão determinando como obrigatório o uso de proteção contra o novo coronavírus.

Funcionários, no entanto, terão que estar com máscaras e luvas, além de ter suas temperaturas monitoradas e testar para o vírus.

As capacidades das salas serão reduzidas para manter a distância entre as pessoas. Segundo a AMC, o processo de higienização das salas vai refletir as necessidades atuais e incluir novos procedimentos, como o de disponibilizar álcool gel em vários locais. Outra medida para evitar contato físico será de não aceitar dinheiro em espécie.  Apenas nos Estados Unidos, a rede de cinema foi obrigada a fechar mais de 600 cinemas por quatro meses.

“Não nos apressamos para reabrir”, disse o CEO da AMC, Adam Aron à revista Variety. “Em alguns estados como Georgia e Texas permitiram a reabertura ainda em maio, mas optamos por permanecer fechados e dar ao país um prazo maior para lidar com o coronavírus. Aproveitamos o período para entender como seria a melhor e mais segura forma de reabrir”, ele explicou.

O filme anunciado para a semana de reabertura é Mulan, da Disney, que estréia no dia 24 de julho, seguido por Tenet, de Christopher Nolan, no dia 31 de julho.

Continua após a publicidade

“Não queríamos atrair controvérsia política. Consideramos contraprodutivo se forçássemos o uso de máscaras para as pessoas que acreditam piamente que não seja necessário. Acreditamos que a grande maioria dos clientes vá usá-las. Eu o farei quando for, para dar o exemplo”, diz Aron.

Outras redes de cinema como Regal e Cinemark estão seguindo o mesmo exemplo. Nos estados onde não for obrigatório, vão recomendar, mas não obrigar aos clientes a usar as máscaras.

A rede AMC vai vender apenas 30% dos ingressos por cada sala, aumentando a capacidade ao longo do tempo. A aposta é que até o final de novembro o serviço esteja 100% liberado.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade