Brasileiro mata a ex na frente dos filhos e é condenado à prisão perpétua

Ricardo Godinho esfaqueou a ex-mulher, Aliny Mendes, enquanto ela segurava um de seus filhos no colo e buscava outro na escola, no Reino Unido

Ricardo Godinho, brasileiro de 41 anos, foi condenado à prisão perpétua no Reino Unido por ter esfaqueado a ex-mulher, também brasileira, Aliny Mendes, de 39 anos, na frente de sua filha em Surrey, em fevereiro deste ano. O caso gerou grande comoção.

Aliny buscava um dos filhos na escola e carregava outro no colo quando foi esfaqueada pelo ex-marido. Ela morreu na calçada próxima à escola enquanto aguardava a chegada da polícia.

De acordo com a polícia, Godinho aguardou Aliny e a filha pegarem o ônibus e seguiu o veículo até a escola. Lá, ele a esfaqueou múltiplas vezes e fugiu, abandonando a arma.

Godinho foi considerado culpado pelo assassinato e por posse de arma perigosa pela corte de Guildford Crown. “Você deixou sua filha ver a mãe morrer”, disse a juíza. O brasileiro admitiu o homicídio culposo – quando não há intenção de matar -, alegando ter ficado “cego de raiva” e perdido o controle quando atacou Aliny, e negou o assassinato. No entanto, para o júri, ele planejou e executou o crime.

VEJA os assuntos que mais estão bombando nas redes sociais

“Ele tinha uma faca grande demais para ser deixada no bolso, como o réu alegara. Isso mostrava claramente que ele planejou o assassinato, em vez de perder o controle de algo que ela disse a ele”, disse a jurada Claire Gallagher.

“Isso foi ainda corroborado por material em seu telefone e computador, que mostrou sua raiva e ressentimento por sua esposa estar buscando uma nova vida para ela e seus filhos. Uma página baixada se referia a uma esposa sendo morta pelo marido”, acrescentou Claire.

Aliny Mendes Aliny Mendes foi morta enquanto buscava um de seus filhos na escola e carregava outro no colo

Aliny Mendes foi morta enquanto buscava um de seus filhos na escola e carregava outro no colo (Arquivo Pessoal/Reprodução)

Com isso, foi decretada a pena de prisão perpétua, com um mínimo de 27 anos. Além disso, foi acrescentada uma pena de um ano pelo porte da faca. O julgamento durou duas semanas e meia.

“Uma caçada foi lançada para encontrar Ricardo Godinho depois que um de seus colegas ligou para o 999 para informar a polícia que ele havia confessado o assassinato de Aliny. Ele foi preso por suspeita de assassinato uma hora e meia depois por policiais depois que eles o pararam em Malden Road, Cheam”, informou a polícia de Surrey em nota.

Comoção

Na época do assassinato, a morte de Aliny causou grande comoção devido ao destino de seus filhos. Sua família no Brasil chegou a abrir um financiamento online para custear o translado do corpo e pagar um advogado para ajudar a manter as crianças juntas, já que o medo era que elas fossem separadas para adoção. O valor foi arrecadado em pouco tempo.

“Aliny era uma mulher linda, inteligente, feliz e carinhosa que era amada por tantas pessoas, tanto no Reino Unido quanto em seu país de origem, o Brasil. Os eventos de sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019, tiraram não apenas uma irmã, uma filha, um neto e um amigo, mas, mais importante, tiraram uma mãe carinhosa de seus quatro filhos pequenos”, disse a família em nota.

Segundo o comunicado, o impacto que a morte de Aliny deixou em seus filhos “é quase impossível de colocar em palavras. Todas as quatro crianças têm menos de 12 anos e agora não têm mãe, que é tão difícil para elas processar tão cedo.”

A família ainda agradeceu à justiça do Reino Unido pelos esforços, mas ressaltou que “nenhuma sentença jamais substituirá ou trará de volta nossa bela Aliny”.

Leia também: Homem que decepou as mãos de esposa é condenado a 15 anos de prisão

+ Goleiro Bruno pode sair da prisão a qualquer momento

Relacionamento abusivo: saiba se você está em um no podcast ‘Senta Lá, CLAUDIA’