Homem é condenado a 110 anos por divulgar estupros na internet

O porteiro Valmir Campos dos Santos, além de abusar das vítimas, divulgava imagens dos atos em uma rede internacional

O porteiro Valmir Campos dos Santos, de 42 anos, foi condenado pela Justiça a 110 anos de prisão por crimes relacionados à pedofilia no litoral sul de São Paulo. Uma investigação da Polícia Federal identificou que ele estuprava as vítimas e compartilhava imagens dos atos de violência em um site russo.

O agressor foi preso em março de 2017 durante a Operação Resgate, deflagrada pela PF de Santos. Três parentes dele, que teriam recebido imagens dos abusos, também foram detidos.

Conforme apurado na investigação, as vítimas eram meninos e meninas com idades entre 7 e de 11 anos no momento dos crimes, cometidos desde 2010. Todos conviviam com ele. Dez foram identificadas a partir das imagens registradas.

Valmir também trabalhava como técnico de informática e atraía algumas das vítimas com a promessa de que elas poderiam utilizar o computador na casa dele, ou então, durante visitas para realização de reparos nos equipamentos.

Nos depoimentos à polícia, os pais das vítimas afirmaram não desconfiavam das atitudes do homem. Entretanto, alguns deles reconheceram os filhos nas gravações do criminoso. Estima-se que ele tinha mais de 11 mil fotos e ao menos 120 vídeos contendo material pornográfico e com pedofilia.