Arábia Saudita aprova lei que criminaliza o assédio sexual

Legislação une-se a outros importantes decretos que visam diminuir a segregação de mulheres na sociedade no país

Uma nova lei adotada pela Arábia Saudita torna crime o assédio sexual. O anúncio foi feito na última quarta-feira (30) pela agência oficial de notícias do país.

Na última segunda-feira (26), segundo informações da agência AFP, o Conselho de Shura, órgão que assessora o governo, aprovou as penas para o crime para os assediadores: até cinco anos de prisão e multa de 300 mil riyals (equivalente e 80 mil dólares).

A nova legislação une-se a outros importantes decretos que visam diminuir a segregação de mulheres na sociedade na Arábia Saudita.

Em setembro do ano passado, o rei Salman bin Abdelaziz autorizou que mulheres possam tirar licença para dirigir. O decreto passa a valer a partir de 24 de junho. A Arábia Saudita era o único país do mundo a proibir mulheres de conduzir veículos automotivos.

Outra decreto importante refere-se aos espaços que antes eram exclusivos a homens. Desde janeiro deste ano, mulheres têm a autorização do rei para frequentar estádios de futebol. Torcedoras podem assistir às partidas de futebol em áreas separadas para elas, denominadas de seção familiar. Os espaços desportivos também foram adaptados ao novo público e passaram a ter áreas exclusivas femininas, como banheiros, templos, fumódromo e estacionamento.

Leia mais:

+ Arábia Saudita elege candidatas em primeira eleição aberta às mulheres

+ Os 10 piores e melhores países para as mulheres