Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O que usar para ser considerada uma carioca de estilo

Quer ser uma carioca em qualquer lugar do mundo? Eleja estampas e cores vivas, ame o sol e, sobretudo, acredite em você.

Por Luiza Brasil (colaboradora) Atualizado em 21 jan 2020, 19h46 - Publicado em 15 ago 2015, 11h00

Radiante, autêntica, cheia de si e com a auto-estima elevada. No quesito estilo, a carioca tem um lugar muito especial: é a exportadora do lifestyle brasileiro para o mundo, pois transita facilmente entre o clima de balneário e a condição de metrópole, o que a torna inconfundível. Segundo Kátia Barros, sócia e diretora criativa da Farm, uma das grandes habilidades da carioca está no uso das estampas. “Essa profusão é a nossa marca registrada. Quanto mais colorido o print, melhor”, afirma Kátia com propriedade sobre o assunto. A primeira coleção de sua marca com a Adidas Originals foi uma das collabs mais vendidas do mundo e se tornou um fiel retrato de como ser uma carioca em qualquer lugar do planeta. “Quem vive no Rio de Janeiro se sente à vontade diante da diversidade de estampas, cores e formas. A moda estrangeira tem inegavelmente todos os méritos, mas essa ginga só poderia ser brasileira”, diz a designer. Para ela, a dupla vestido longo e chinelos de dedo reflete bem o espírito local. “São das flats e das rasteirinhas que elas gostam mais”, afirma.

Divulgação/RIOetc
Divulgação/RIOetc

Esse fascínio pelos sapatos baixos combina com um modo de vida easy. “Com o mar e a praia acessíveis a qualquer momento, sempre há a propensão a usar um calçado confortável e fresco”, acredita Adriana Svartsnaider, diretora criativa da Mr. Cat. Outro queridinho que flerta com a moda das cariocas são os sneakers. Carolina Cutolo, diretora da Nike Women’s do Brasil, acredita que, graças ao fato de o Rio ser um grande playground a céu aberto, o tênis sportsy ganhou relevância nas ruas. “A carioca leva a heritage do esporte para o seu look e, por isso, busca modelos com essas referências.”

Cheias de bossa e com uma criatividade desafiadora, desde a menina “suínge, sangue bom” do Posto 9 até a executiva do mais alto cargo imprimem o Rio de Janeiro em suas produções: no normcore com chinelos ou na alfaiataria estampada para uma reunião de negócios. “O grande diferencial é que a carioca consegue a proeza de ser estilosa sem precisar seguir padrões. Ela deixa que o local influencie a maneira de se vestir. Diferentemente da maioria das capitais de moda, aqui quase não sentimos frio e, apesar de invejarmos o uso de inúmeros layers, aprendemos a ficar elegantes vestindo o essencial. Damos a bossa com acessórios mais exuberantes”, afirma a empresária de moda Bá Rosalinski.

Divulgação/RIOetc
Divulgação/RIOetc

Um estilo relaxado ou desarrumado? Despreocupado. É assim que Tiago Petrik, editor do RioEtc, um dos principais blogs de streetstyle do país, e coautor do livro A Carioca, ao lado da consultora de moda Renata Abranchs, define o jeito das mulheres que são surpreendidas por seus cliques (são do seu site as fotos que ilustram esta reportagem). “A carioca tem ‘borogodó’, ‘querequequé’, ‘je ne sais quoi’. Tem charme, simpatia, joie de vivre. E, em um momento em que começamos a valorizar mais as coisas intangíveis, mais o ser, menos o ter, esse ativo – a carioquice – torna-se precioso”, diz. Para ele, a atitude relax entrega as verdadeiras representantes da cidade (que podem ser de nascimento ou de coração) em qualquer canto do globo – desde que o dia não esteja nublado. “A carioca tem um jeito solar de viver, um gosto por roupas leves, cores claras e estampas. Ela não é uma consumidora voraz e domina com intimidade os códigos do calor”, afirma.

Continua após a publicidade

Divulgação/RIOetc
Divulgação/RIOetc

Porém não é só a luz do Sol que a alimenta atualmente. Junto com o crescimento de festas e clubes pela cidade, tem aumentado o número de party girls que montam produções muito além do pretinho básico. Yasmin Vilhena, DJ e insider da noite, vê como o grande trunfo da cena noturna o conforto: “Pela influência do clima e da descontração das pessoas, é forte o hábito de não tornar os compromissos um evento isolado. Você pode sair do trabalho, beber com as amigas e emendar numa noitada, tudo com o mesmo look”. Stilettos vertiginosos? Vestidos-statements? Esqueça. A coisa mais linda e mais cheia de graça são as sandálias de plataforma média e elementos da moda praia que já invadiram o closet urbano e se transformaram em curingas, como as hot pants, os maiôs e os bodies.

Divulgação/RIOetc
Divulgação/RIOetc

A beleza também conta desde que seja bem natural. Para Carla Biriba, uma das principais make-up artists da cidade, o visual preferido é minimalista: blush realçando o bronzeado, muita máscara para cílios e pronto. Os cabelos do momento não poderiam ter um nome mais apropriado: beach hair, com fios amassados, que evocam um dia de praia.

E existe algo que elas não usam? “Topam tudo”, diz Carla Lemos, blogger do Modices e stylist de atrizes como Carol Castro e Nanda Costa. “Mas sempre acrescentam algo pessoal.” Quando o assunto é dar aula de estilo, nada traduz tão bem esse mood quanto os versos de Cariocas, de Adriana Calcanhoto: “Elas nascem bambas, nascem craques”.     

Divulgação/RIOetc
Divulgação/RIOetc

Continua após a publicidade
Publicidade