Clique e assine com até 75% de desconto

As melhores empresas de moda para trabalhar em 2017

Com base em uma pesquisa da The Business of Fashion, essas são as 16 melhores empresas na indústria da moda para trabalhar

Por Ana Flavia Monteiro Atualizado em 20 jan 2020, 15h23 - Publicado em 25 abr 2017, 18h05

A The Business of Fashion, referência no mundo da moda, pesquisou mais de 2.600 profissionais da indústria, que representavam mais de 190 das mais importantes empresas ao redor do mundo, para que pudessem fazer o relatório das Melhores Empresas de Moda para Trabalhar em 2017.

As 16 empresas listadas abaixo são as que mais contrataram em 2017, atingindo uma boa base nos quesitos Recompensas & Benefícios, Liderança & Desenvolvimento e Cultura & Ambiente de Trabalho.

Farfetch, com destaque em Cultura & Ambiente de Trabalho.

“O feedback dos empregados define nossa cultura”.

A empresa não acredita que o dinheiro seja o maior motivador em relação ao trabalho e, depois de pesquisas e análises do feedback dos empregados, passaram a oferecer yoga no terraço, clubes de corrida, dias que podem levar os filhos ao trabalho, sopa caseira gratuita e cafés da manhã e frutas frescas.

“A Farfetch tem uma cultura fantástica — uma cultura de excelência. Isso me desafia a ser inovador e revolucionário”, diz o Diretor de Serviços Globais.

GAP, com destaque em Recompensas & Benefícios.

“Uma filosofia que retribui a performance”

A empresa oferece um dos pacotes de compensação mais atrativos do mercado, que visa recompensar os funcionários pelo serviço prestado e reter talento. A GAP ainda tenta remover a diferença entre gêneros, além de cortar a competição interna.

“A GAP é extremamente generosa com o salário e as recompensas, mas também oferecem muitos feedbacks e incentivos para o trabalho”, diz um de seus funcionários.

Loewe, com destaque em Cultura & Ambiente de Trabalho.

“Desenvolvimento informado pela cultura mundial”.

Uma das casas de luxo mais prestigiadas da Espanha, ganhou uma nova vida sob a direção criativa de Jonathan Anderson, que criou um “ambiente de trabalho agradável”, segundo seus funcionários. Mas, além disso, a empresa também dá oportunidade para o desenvolvimento cultural de seus funcionários por meio da The Loewe Foundation, que oferece cursos e iniciativas culturais (dança, poesia, fotografia, arquitetura e design) para seus membros.

Tommy Hilfiger, com destaque em Cultura & Ambiente de Trabalho.

“Incentivando suas ambições pessoais”.

A marca balanceia, com sucesso, um bom ambiente de trabalho e a importância da satisfação do funcionário. Graças ao See Now, Buy Now, a Tommy se remodelou e conseguiu se inserir mais no mercado e fez com que a empresa virasse uma equipe, por meio de festas, treinamentos e outros eventos.

Mais importante que tudo, a empresa compreendeu que um ambiente de trabalho feliz não diminui a produtividade, inclusive a aumenta. “O trabalho é pesado, mas temos liberdade aqui dentro”, diz um dos empregados.

H&M, com destaque em Liderança & Desenvolvimento.

“Uma cultura democrática e de alta performance”.

Tendo partido de uma única loja na Suécia, para uma cadeia de mais de 4.600 locais, a marca é uma das maiores varejistas de moda e não se considera uma fast-fashion, mas sim uma loja democrática em termos de negócios e cultura interna.

“Quando você trabalha para a H&M, você trabalha para uma democracia. O negócio é trabalhar em equipe com todos, independente do cargo da pessoa”, diz a empresa. De acordo com os funcionários, esse ambiente de trabalho em equipe não atrapalha no crescimento individual.

Nordstrom, com destaque em Cultura & Ambiente de Trabalho.

“Uma campeã de diversidade e inclusão”.

A Nordstrom não apenas acredita na diversidade, mas a vê como um bom negócio. “Aqui, nós valorizamos a riqueza que a diversidade traz ao nosso grupo — faz com que sejamos melhores e mais dortes. Nós somos profundamente comprometidos a cultivar um ambiente onde os funcionários possam ser respeitados e apreciados”, diz a empresa.

Gucci, com destaque em Liderança & Desenvolvimento.

“O impacto de um líder que motiva”.

Graças à transparência e ao foco em comunicação de Marco Bizzarri, novo chefe executivo, a marca mudou para melhor. “Com a chegada do novo CEO e a nova visão da Gucci, a cultura da empresa melhorou dramaticamente e, no geral, a motivação profissional também se elevou”, diz um funcionário.

Comunicação clara, eficiente e concisa, esse foi o foco de Marco para repaginar a marca.

Zara, com destaque em Recompensas & Benefícios.

Continua após a publicidade

“Recompensas fortes para quem conseguir acompanhar a marca”.

“Nosso processo de manufatura nos permite colocar novos modelos nas prateleiras duas vezes por semana”, diz a empresa. Felizmente, a Zara entende que para que os funcionários consigam trabalhar na velocidade necessária, eles precisam oferecer salários e pacotes de benefícios que estejam a altura da quantidade de demanda.

Berluti, com destaque em Cultura & Ambiente de Trabalho.

“Atitude moderna para criar um ambiente de trabalho estimulante”.

No mercado desde 1895, atualmente a empresa traz a atenção que dá aos sapatos masculinos para o ambiente de trabalho. Eles oferecem concierge, sapateiro, desconto em aulas de yoga e na academia, além de sucos frescos. Na visão de um dos funcionários, “a Berluti deixa tudo no lugar certo, para que o funcionário possa dar o seu melhor”.

A companhia ainda encoraja a comunicação entre os membros da equipe, além de exercícios para estreitar os laços entre eles.

Levi Strauss & Co., com destaque em Recompensas & Benefícios.

“O salário segue o proposto pelo mercado”.

“Como alguém que trabalha na área da Baía de São Francisco, meu salário é razoável e é de acordo com a minha função”, diz um analista de recursos humanos. “Levando em consideração que eu trabalho na cidade mais cara dos Estados Unidos, recebo um salário mais que razoável, além dos 10% de bônus que recebemos quando atingimos as cotas propostas”, diz outro funcionário da Levi Strauss.

Esses pacotes de remuneração da empresa são feitos para aumentar a produtividade, garantindo meios financeiros adequados para a cidade onde vivem, o que os permite focar no trabalho e não em suas contas bancárias.

Zalando, com destaque em Liderança & Desenvolvimento.

“Estruturas fluidas de equipe e uma progressão mais rápida”.

Para que a empresa seja impulsione seus funcionários a crescer, os gerentes da marca sempre se encontram pessoalmente com seus seus subordinados para dar feedbacks. Esse “fácil acesso” aos supervisores, garante uma maior flexibilidade em relação à suas carreiras e permite que eles cresçam em diferentes áreas dentro da empresa. “É um ambiente que muda com rapidez, então é necessário que você se adapte, mas o time é ótimo, cheio de oportunidades e desafios que ajudam no aprendizado”, diz um responsável pelo merchandising da empresa.

Galeria Lafayette, com destaque em Liderança & Desenvolvimento.

Ligando a produção individual ao impacto empresarial”.

A empresa usa essa simples e efetiva estratégia para motivar seus funcionários. “Eu sou mais motivada no meu cargo, porque consigo ver o impacto que tenho ao longo dos dias”, diz a gerente de marketing. Como resultado, suas trajetórias são linkadas com as habilidades. “Meu gerente vê o meu potencial e cria novos desafios que me impulsionam e fazem minha experiencia e minha inteligencia crescerem”, complementa.

Grupo Cotton On, com destaque em Recompensas & Benefícios.

“Um salário competitivo e várias vantagens”.

Com osteopatas online, personal trainers disponíveis em horários flexíveis e um grupo dedicado à saude e bem estar, a Cotton On eleva o cuidado que se tem com o funcionário.

“Eu acabei de voltar da minha consulta com o osteopata – que aconteceu na minha casa – e, em uma hora, terei minha sessão semanal com meu personal trainer na academia da empresa. Na sexta, sairei mais cedo para meu final de semana, fato possível pelo programa de horas flexíveis”, explica o diretor global de merchandising.

Adidas, com destaque em Liderança & Desenvolvimento.

“O aprendizado e o desenvolvimento são chave para ser uma gigante da moda esportiva”.

A criatividade é o coração das operações globais da Adidas e, para incentivar seus funcionários, oferecem trainamentos e programas de desenvolvimento. A marca encoraja seus funcionários a construir uma carreira diversa e variarem entre os departamentos e cargos dentro das operações. Sua presença ao redor do mundo, permite que os funcionários também tenham mobilidade e crescimento dentro destes países.

Warby Parker, com destaque em Cultura & Ambiente de Trabalho.

“Autonomia e autenticidade conversam com os empregados”.

A empresa de óculos busca sempre ouvir seus funcionários e dá a liberdade necessária e permitida para que tenham autonomia sobre seu trabalho. “Tem uma vibe autentica e feliz na Warby Parker, que percebo ser diferente quando visito colegas em outras empresas. Eu gosto de ver meus colegas de trabalho e nós trabalhamos juntos para resolver problemas da empresa. A mentalidade de ‘isso não é meu trabalho’ não existe”, diz um especialista de comunicação.

Calvin Klein, com destaque em Recompensas & Benefícios.

“A empresa que ajuda você a planejar seu futuro”.

Tendo como foco a segurança financeira de sua equipe, a empresa disse à BoF: “Nossos associados devem estar bem posicionados financeiramente — enquanto trabalham e após pararem de trabalhar. Nós oferecemos programas de aposentadoria e poupança que os ajuda a ter um futuro com estabilidade financeira”.

A empresa também se posicionou como contra a cultura workaholic. “Eu sinto que a CK preza pelo bem-estar de seus funcionários focando no balanço entre a vida e o trabalho, salário, nutrição e mais”, complementa um gerente do e-commerce.

Continua após a publicidade
Publicidade