Aprenda a usar flores comestíveis nos pratos

Há opções lindas, coloridas e saborosas - e todas têm lugar garantido nas receitas de verão, ainda mais em ocasiões especiais. Confira dicas para usá-la corretamente.

As flores tornam a refeição mais romântica e colorida!
Foto: Carlos Rubi

Na última década, os chefs ajudaram a popularizar o uso culinário das flores – e já é possível encontrá-las em feiras e supermercados. “Em 2001, quando começamos a servi-las nas festas, os convidados torciam o nariz ao ver flor na comida”, lembra o banqueteiro Juliano Cordeiro, do Buffet Zest, em São Paulo. “Na maioria das vezes, elas voltavam intactas para a cozinha.” Aos poucos, o público foi se acostumando à ideia, muito popular em outros países – caso da Tailândia, onde pétalas coloridas são tão importantes quanto legumes e frutas na composição de pratos à base de frango ou peixe. Seu papel não se limita à decoração. Cada espécie tem um sabor característico, que deve ser levado em conta na hora da escolha. “Casam melhor com receitas leves, frescas e femininas. Não indico pôr em uma perna de cabrito assada”, opina o chef. Outra dica: extremamente frágeis, melhor que sejam compradas, no máximo, um dia antes de ir à mesa. Para evitar que murchem, mantenha-as na caixinha original, guardada na parte baixa da geladeira.

Aprenda a usar flores comestíveis nos pratos

Amor-perfeito

Oferece um arco-íris e um sabor levemente adocicado – por isso, é indicada para receitas agridoces ou sobremesas. Mas podem produzir um interessante contraponto nos pratos picantes.

Hibisco

Além de render gostosas infusões, quentes ou geladas, é matéria-prima de geleias artesanais. Decora pratos, mas suas pétalas grandes não ficam tão delicadas in natura.

Calêndula

Em geral, usa-se apenas a pétala, que pode ser amarela ou alaranjada. Bem aromática, é recomendada para saladas e risotos. “Gosto muito com purê de inhame”, diz o chef.

 Aprenda a usar flores comestíveis nos pratos 

Capuchinha

É a mais comum e fácil de encontrar. Tem sabor picante e ligeiramente amargo, que lembra folhas de agrião. Vai do amarelo ao rubi e combina com canapés e saladas.

Flor de coentro

Lembra as folhas da erva, mas sem tanta potência. Juliano dá a dica: “Como muita gente tem rejeição ao sabor intenso do coentro, a flor é substituta delicada em receitas de peixe”.

Flor-de-mel

Os minibuquês brancos têm sabor levemente adocicado, com notas de mel – daí o seu nome. Fica ótima em sobremesas ou em pratos salgados que levam frutas.

 Aprenda a usar flores comestíveis nos pratos 

Borago

As pétalas miúdas, entre o azul-claro e o roxo, apresentam sabor delicado, que não interfere tanto nas receitas. Versátil, enriquece saladas, pratos frios, drinques e sobremesas.

Minirrosa

Inteira, gera desconfiança dos convidados. “Há quem evite comê-la, temendo espinhos”, diz Juliano. Mas a rosa comestível é inofensiva, tem perfume intenso e vai bem em saladas e doces.

Flor de abobrinha

Na Itália, costuma ir à mesa empanada em uma massa leve, recheada de mussarela e anchova (ou presunto cru). Supefrágil, raramente chega aos nossos mercados – a saída é encomendar na feira.
 
Dica esperta : para que mantenham o ar de bem fresquinhas, só adicione as flores à receita na hora de servir.

Confira receitas com as flores clicando na imagem abaixo:

          Aprenda a usar flores comestíveis nos pratos