CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Jill Biden sofre ataque sexista e as ex-primeiras-damas a defendem

O artigo do escritor Joseph Epstein foi classificado como sexista e misógino, e seus conselhos despertaram a reação dos internautas

Por Da Redação 15 dez 2020, 16h53

O escritor e ensaísta Joseph Epstein declarou seu incômodo em um artigo publicado no Wall Street Journal, onde dizia que Jill Biden, atual primeira-dama deveria abrir mão do título de doutora, porque ela não é médica.

“Chamá-la de “Dra. Jill Biden soa e parece fraudulento, para não dizer cômico”. Escreveu ele. O artigo leva o título “Há um médico na Casa Branca? Não se você precisar de um médico”.

Em sua conta no Twitter, Jill falou sobre o artigo. “Juntos, construiremos um mundo onde as realizações de nossas filhas serão celebradas, em vez de diminuídas”, escreveu ela.

Rapidamente, as palavras do escritor foram classificadas como sexistas e misóginas, e seus conselhos despertaram a reação dos internautas, que fizeram o assunto entrar nos Trending Topics do Twitter no fim de semana.

A ex-primeira-dama Hillary Clinton escreveu: “O nome dela é Doutora Jill Biden. Acostume-se”. O marido de Kamala Harris, Doug Emhoff, que é professor universitário, também se manifestou. “Este artigo nunca teria sido escrito sobre um homem”, refletiu.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Michelle Obama também não deixou de falar a respeito do artigo, e publicou a seguinte mensagem em seu Instagram. “Durante oito anos, vi a Dra. Jill Biden fazer o que muitas mulheres profissionais fazem – administrar com sucesso mais de uma responsabilidade ao mesmo tempo, desde os seus deveres de professora às suas obrigações oficiais na Casa Branca, passando pelos seus papéis como mãe, mulher e amiga”.

View this post on Instagram

A post shared by Michelle Obama (@michelleobama)

  • Continua após a publicidade
    Publicidade