Will Smith confessa que novo papel ajudou a superar morte do pai

O ator encarna um pai que perdeu a filha de 6 anos. “Não importa quão ruim seja sua situação, há sempre algo belo pelo que vale a pena viver", diz.

O ator norte-americano Will Smith, confessou, numa entrevista concedida ao site de notícias espanhol EFE, que seu personagem no filme “Beleza Oculta”, que estreará nas telonas brasileiras no dia 26 de janeiro, o ajudou a superar a perda do pai, Willard Carroll Smith Jr., morto em 8 de novembro de 2016.

Leia mais: Will Smith fala sobre racismo em Hollywood: “Convivo com o preconceito constantemente”.

No longa, Will encarna o publicitário Howard, um pai que perdeu recentemente a filha de apenas 6 anos e entrou em depressão profunda. O personagem passa, então, a escrever cartas destinadas à morte, ao tempo e ao amor — o que deixa seus amigos e familiares preocupados. No entanto, o que parece absurdo se torna real: os três destinatários passam a respondê-lo.

“Para mim, foi uma oportunidade magnífica interpretar um personagem que lidava com a morte da filha quando justamente eu me preparava para a morte de meu pai”, declarou o ator, ressaltando que esse foi um dos papeis mais impactantes de toda a carreira.

Veja também: 12 filmes sobre a relação entre pai e filho.

Ele ainda completou: “Desde o momento em que li o roteiro fiquei preso ao conceito de ‘Beleza Oculta’.” Will ainda contou que o mote do longa é a superação: “não importa quão ruim seja sua situação, há sempre algo belo pelo que vale a pena viver.”