Príncipe Harry conta que viveu anos de “caos” após morte da mãe

Segundo o jovem, Príncipe William foi quem o incentivou a procurar ajuda psicológica para aceitar a perda

O príncipe Harry revelou nesta segunda-feira (17) que procurou ajuda psicológica para superar a morte da sua mãe, a princesa Diana, após ter passado dois anos em “caos total” – e 20 evitando pensar no assunto.

Quando Lady Di morreu em um acidente de carro, em 1997, aos 36 anos, Harry tinha 12. Segundo ele, ficou fechado em seus sentimentos por todo o tempo até viver meses de “caos total” quando tinha 20 anos. “Meu modo de lidar com isso era enterrar a cabeça na areia. Rejeitava inclusive pensar em minha mãe, porque em que ia ajudar isso? Somente ia trazer tristeza, não ia trazê-la de volta”, desabafou.

O cenário só se transformou quando, finalmente, cedeu aos apelos de William e procurou ajuda psicológica. “Você precisa lidar com isto, não é normal achar que nada o afetou”, dizia o herdeiro para tentar convencê-lo, segundo o relato de Harry. Paralelamente à terapia,a prática de boxe também entrou em sua vida para canalizar a agressividade e o estresse.

Hoje, ele assegura que está muito melhor. “Agora sou capaz de levar meu trabalho a sério e lidar com minha vida privada. Sou capaz de colocar sangue, suor e lágrimas em coisas que realmente fazem a diferença, em coisas que acredito que ajudam a todos os demais”, finalizou.