Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

“Somos pais, não super-heróis”, diz Príncipe William sobre cuidar dos filhos

William e Kate visitaram uma organização londrina que oferece assistência mental a mães e pais por meio de um canal telefônico.

Por Redação CLAUDIA - Atualizado em 28 out 2016, 14h37 - Publicado em 26 ago 2016, 16h44

Em continuação ao trabalho desenvolvido junto à organização Heads Together – que promove a saúde mental na Grã-Bretanha – o Príncipe William, 34 anos, e sua esposa, Kate Middleton, 34 anos, visitaram a ONG londrina Young Minds, que disponibiliza um canal telefônico de apoio a mães e pais que se sentem sobrecarregados ou que estejam preocupados com o comportamento de seus filhos.

É importante que os pais entendam que não podemos ser brilhantes em tudo. Não há problema algum em falar sobre isso e procurar ajuda, porque não somos todos super-heróis. Há muita pressão, e muito disso é produzido pelos próprios pais e mães, como se tivéssemos o dever de dar conta de tudo. Você tem que mostrar força e resiliência no dia a dia. Mas há algumas vezes em que a situação passa da conta e você precisa sair disso, e está tudo bem”, disse o príncipe.

A ligação feita pelo canal é gratuita e todas as informações trocadas são confidenciais. Pais e mães são atendidos por conselheiros treinados que conversam sobre questões emocionais e o comportamento de filhos com até 25 anos. Caso haja necessidade, o conselheiro pode encaminhar a ligação para um especialista em saúde mental. O serviço também pode ser feito por e-mail e, segundo a Young Minds, mais de 10.000 pessoas contataram a organização em 2013.

“Foi uma experiência que abriu meus olhos. Achei o serviço fantástico: pessoas amáveis e bem cuidadosas do outro lado da linha, que escutam o quanto você precisar para construir a imagem do que está acontecendo e, então, dar conselhos extremamente bons. E há ainda profissionais em saúde mental que podem atender a linha se necessário” concluiu William.

Continua após a publicidade

Reprodução/People.com/PA IMAGES /SIPA USA
Reprodução/People.com/PA IMAGES /SIPA USA

Segundo o site da revista People, William e Kate – que são pais de George, 3 anos, e Charlotte, 1 ano – ouviram as preocupações de mães e pais por meio da linha telefônica da organização e conversaram com os líderes do projeto. “Como mãe, há uma sensação boa em saber que há alguém que não julgará e que realmente possa estender uma mão amiga e uma assistência profissional em uma hora muito difícil, explicou disse Kate, que definiu o suporte dos atendentes e especialistas como vital em situações críticas. 

Divulgação
Divulgação

Publicidade