Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Pensamentos sobre ‘Game of Thrones’: 6ª temporada, Episódio 6

Mais dragões, por favor.

Por Gabriela Kimura Atualizado em 21 jan 2020, 09h39 - Publicado em 30 Maio 2016, 11h40

Sim, para o nosso desespero, a sexta temporada de Game Of Thrones está chegando ao fim. Depois do 6º episódio, a gente começa a pensar loucamente no que ainda está por vir e quanto tempo mais precisaremos aguentar essa história de Samwell Tarly! A vantagem é que já foram duas semanas sem as Serpentes da Areia – obrigada, diretores.

Passado um dos episódios mais tristes de todas as temporadas, a gente quer é ver o circo pegar fogo!

Braavos

Sim, a garota sem nome se lembra muito bem de quem é. Depois de uma looooonga narrativa sobre se transformar em ninguém, Arya Stark parece não esquecer jamais sua sede de vingança. Já encontrou sua espada, a Agulha, desistiu de matar Lady Crane e parece partir para seu verdadeiro destino. O que está corroendo nossos corações de ansiedade é não saber qual será a face da assassina dela. Vai buscar o que é seu, Arya!

Vaes Dothrak

Só um dragão como Drogon para salvar a Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen, Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens, da mesmice. Tudo bem, ela saiu queimando tudo e destruindo os babacas dos khals? Sim. Mas aí ela continua tentando conseguir uma bendita frota para levar os cavaleiros para Westeros? Também. Danny, procure logo Euron Greyjoy e sai dessa chatice de “cadê meus barcos”!

Para Além da Muralha

Não adianta fingir que não estavámos tod@s preparad@s para alguém salvar Bran e Meera das terríveis garras sobrenaturais dos White Walkers. O que, com certeza, ninguém esperava era rever o querido Benjen Stark – supostamente morto em uma patrulha dos corvos. Acho que essa história de ser metade white walker/metade bom moço servindo seu reino – como na Muralha – realmente foi o ponto alto dessa história. E também deu para fazer as pazes com as Crianças que tiveram a ~brilhante~ ideia de criar o exército mais mortal que os Sete Reinos já conheceram. Ou melhor: ainda não. O inverno pode não ter chegado, mas com certeza o coração congelado destes seres sobrenaturais está cada vez mais perto da verdadeira guerra desta temporada.

Westeros

Antes de qualquer coisa, precisamos falar sobre essa volta de Cersei e Jaime como um casal! Tudo bem que é incestuosa a coisa, os dois são grandes assassinos traiçoeiros, mas a mudança do Lannister mais charmoso de Westeros e a redenção da Rainha Regente nos fazem aspirar por um amor maior. E a certeza de que muitas cabeças rolarão, claramente.

Continua após a publicidade

Daí vem a parte mais interessante dessa treta toda: Tyrell e Lannister se unindo para destronar aquele manipulador barato do Alto Pardal. O que nem Lady Olena nem Jaime esperavam era ver Tommen se unindo à Fé, juntamente com a Margaery. A Rainha não está para brincadeiras, não – o que a gente não sabe é o quão cego pode ser esse rei de araque que se denomina um homem. Por favor, né.

As Gêmeas e Correrio

Pois é, todo mundo já tinha se esquecido completamente dos traidores Frey. Afinal de contas, Lorde Walder Frey tem 400 anos e mais filhos do que precisaria! Fato é que agora eles reaparecem reclamando de terem perdido Correrio para Brynden Tully, o “Peixe Negro”, tio de Catelyn. Contando com a ajuda dos Lannister para recuperar a região – já que agora são aliados -, o trunfo deles era alguém que ninguém prestou muita atenção na série toda: Edmure Tully, o irmão de Cat. Sim, é difícil lembrar qual era a relevância dele, mas foi Edmure que tomou o lugar de Robb Stark para casar com alguma Frey, conforme o acordo lá na terceira temporada. Bem, deu no que deu, certo?

Monte Chifre

Samwell Tarly é um personagem difícil de se afeiçoar. Enquanto estamos (mal) acostumadas com um mundo de mortes, lutas, dores e traição, ele se mantém sempre invisível perante todos os acontecimentos. É uma covardia que irrita! O lado bom de terem incluído essa trama no sexto episódio foi que, pelo menos, pudemos ver de onde vem tanto medo e insegurança. A história de amor de Gilly e Sam é bem mamão com açúcar, mas ela defendeu o ex-futuro mesitre como foi possível diante do pai abusivo e irmão egocêntrico. No último minuto, decidiu fugir com a ~família perfeita~, levando a espada da Casa Tarly. Só os deuses sabem o que Lorde Randyll vai querer fazer com o filho “deserdado”.

ALGUNS PENSAMENTOS RÁPIDOS

– Ainda mais ansiosas para ver mais dragões por aí;

– Saldo do episódio positivo: nenhuma morte;

– Queremos é ver Westeros pegando fogo com os Lannisters, Frey e Tyrell;

– O tema do próximo episódio é: vingança até dizer chega, de Stark aos Selvagens. Manda mais que tá pouco!

Continua após a publicidade
Publicidade