Morte de Saoirse Kennedy, 22 anos, relembra “maldição dos Kennedy”

A história da família Kennedy é marcada por acidentes, desastres, assassinatos e tragédias desde 1941.

Saoirse Kennedy Hill, de 22 anos, morreu na última quinta-feira (1º), vítima de uma overdose. Ela foi encontrada já sem vida em uma das propriedades da família Kennedy, na vila de Hyannis Port, em Massachussets, nos Estados Unidos

Saoirse estudava Comunicação no Boston College, e sofria de depressão e outros problemas relacionados a saúde mental. Em 2016, ela escreveu sobre essas questões no jornal da escola Deerfield Academy, onde estudava. Segundo ela, a depressão se instalou no início do ensino médio, e nunca mais a deixou. Ela era neta de Robert F. Kennedy, ex-senador e ex-procurador-geral dos EUA, e sobrinha-neta de John F. Kennedy, o JFK, que foi presidente daquele país entre 1961 e 1963. 

saoirse kennedy

 (Instagram/Reprodução)

A morte de Saoirse faz lembrar a chamada “maldição dos Kennedy“. Desde 1941 há registro de acontecimentos trágicos envolvendo essa que é uma das famílias mais importantes e influentes dos Estados Unidos no século 20. Assassinatos, acidentes de carro e avião e mortes naturais, porém inesperadas, marcam a história da família Kennedy.

Em 1941 a irmã de JFK, Rosemary, foi submetida a uma lobotomia – cirurgia que consiste em cortar parte do cérebro -, pois ela era deficiente intelectual e tinha convulsões e mudanças de humor repentinas. A cirurgia deu errado, e, aos 23 anos, Rosemary ficou permanentemente incapacitada, não conseguindo nem falar. Ela foi criada isolada do restante da família e escondida da mídia, e morreu em 2005, aos 86 anos, sem nunca se recuperar.

Kathleen, Rose, e Rosemary Kennedy Da esquerda para a direita: Kathleen, Rose e Rosemary Kennedy, no Palácio de Buckingham, em maio de 1938.

Da esquerda para a direita: Kathleen, Rose e Rosemary Kennedy, no Palácio de Buckingham, em maio de 1938. (CORBIS/Getty Images)

Em 1944, o irmão mais velho de JFK, Joseph, morreu em uma explosão de um avião, durante a 2ª Guerra Mundial. Ele havia abandonado a Universidade de Direito de Harvard para se voluntariar como piloto de avião na guerra.

Em 1948, outra irmã de JFK morreu de maneira trágica. Kathleen Kennedy era colunista do jornal Times-Herald, em Washington, e também se voluntariou para trabalhar na Inglaterra durante a 2ª Guerra Mundial. Lá ela se casou com o Marquês de Hartington. Ele foi convocado para a guerra um mês após o casamento, e morreu durante uma batalha, três meses depois. Já Kathleen morreu em um acidente de avião, aos 28 anos, quando voava de Paris para a Riviera Francesa.

Em 1953 JFK se casou com Jacqueline Bouvier, e ela se tornou Jacqueline Kennedy. Em 1956 ela ficou grávida, mas sua primeira filha nasceu morta. A bebê foi sepultada sem nome, mas depois esclareceu-se que ela se chamaria Arabella.

Em 1957 Jacqueline deu à luz Caroline, e em 1960, John Jr, conhecido também como John-John. Em 1963 ela engravidou do caçula, Patrick, que nasceu prematuramente. O bebê não resistiu e morreu 39 horas depois do nascimento. 

John F. Kennedy, o JFK, e Jackie Kennedy John F. Kennedy, o JFK, e Jacqueline Kennedy, em março de 1963, em Washington. Ela estava grávida de Patrick.

John F. Kennedy, o JFK, e Jacqueline Kennedy, em março de 1963, em Washington. Ela estava grávida de Patrick. (National Archive/Newsmakers/Getty Images)

 

Ainda em 1963, em novembro, JFK, então presidente dos Estados Unidos, foi assassinado em Dallas. Ele estava desfilando em carro aberto ao lado de Jacqueline, quando foi alvejado por um atirador de elite. O assassinato de JFK foi registrado em vídeo e é uma das imagens mais famosas do século 20.

Assassinato de JFK Momentos antes do assassinato de JFK, o presidente e Jackie Kennedy desfilavam em carro aberto em Dallas, Texas. Era 22 de novembro.

Momentos antes do assassinato de JFK, o presidente e Jackie Kennedy desfilavam em carro aberto em Dallas, Texas. Era 22 de novembro. (CORBIS/Getty Images)

Em 1968, o irmão de JFK, Robert Kennedy (avô de Saoirse), era senador dos Estados Unidos. Ele havia iniciado a corrida pela presidência do país, e, ao comemorar a vitória nas primárias da Califórnia, foi assassinado no Hotel Ambassador, em Los Angeles.

O filho de Robert, David, tinha apenas 13 anos quando o pai morreu. Ele estava em Los Angeles, sozinho em um quarto de hotel, quando viu as notícias da morte do pai na televisão. Traumatizado, David passou a abusar de álcool e heroína, e morreu, vítima de overdose, aos 28 anos, na Flórida.

O irmão de David, Michael, cresceu e decidiu se dedicar a uma organização que auxiliava os pobres. Também trabalhou em campanhas políticas para a família. Em 1997, jogando futebol americano em esquis com a família, na véspera do Ano Novo, ele perdeu o controle dos esquis e colidiu com uma árvore. Morreu, vítima dos ferimentos causados por esse acidente.

John F. Kennedy Jr., o John John, e Carolyn Bessette Kennedy John F. Kennedy Jr., o John John, e Carolyn Bessette Kennedy, em maio de 1999, dois meses antes do acidente de avião.

John F. Kennedy Jr., o John John, e Carolyn Bessette Kennedy, em maio de 1999, dois meses antes do acidente de avião. (Justin Ide/Getty Images)

John Jr, filho de JFK e conhecido como John John, era tido como o sucessor natural do pai. Bonito, bem sucedido, formado em Direito, ele era editor de uma revista sobre política e apoiava o Partido Democrata – embora, ele mesmo, nunca tenha querido se candidatar. Em 1999 ele estava viajando com a esposa, Carolyn Bessette, e com a cunhada, quando o avião que ele mesmo pilotava caiu no mar. Os três morreram no acidente.