Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Há 38 anos a Princesa Diana ousou ser feminista no próprio casamento

A Princesa Diana mudou a história dos casamentos reais com sua ousadia - e seu legado permanece até hoje, por meio de Kate Middleton e Meghan Markle.

Por Da redação - Atualizado em 15 jan 2020, 12h23 - Publicado em 29 jul 2019, 12h29

Se hoje nós acompanhamos a vida e os feitos de Kate Middleton, Meghan Markle e de toda a Família Real tão atentamente, muito disso é responsabilidade da princesa Diana. O casamento dela com o príncipe Charles, em 29 de julho de 1981, levou um sopro de modernidade à realeza britânica. Ela se tornou uma pop star mundial e a Família Real Britânica nunca mais foi a mesma.

É bem verdade que essa nobre linhagem europeia sempre foi famosa e cheia de história. Eles são como a família Kardashian, mas há séculos. Porém o casamento de Charles e Diana, há exatos 38 anos, mudou o jogo. Ela fez questão de imprimir sua marca no clã, não aceitando o papel de mera consorte do príncipe Charles. Deu muita dor de cabeça para a rainha Elizabeth – mas também deu ao mundo William e Harry, que estão fazendo um belo trabalho de perpetuar a fama da Família Real.

Casamento PRincesa Diana e Principe Charles
Anwar Hussein/Getty Images

Uma das decisões que Diana tomou no dia do seu casamento foi uma quebra de protocolo bem feminista. Ela foi a pioneira em omitir a palavra “obedecer” dos votos. Sabe, quando um noivo fala para o outro que promete “amar e respeitar”? Pois. Até o casamento de Diana e Charles, a mulher dizia que iria “amar, respeitar e obedecer” o marido. Era o voto de obediência. Que Diana não topou falar.

Na época, a decisão da noiva causou um tremendo bafafá. O jornal The New York Times noticiou: “Em uma ruptura do precedente real, Lady Diana Spencer decidiu que ela não prometerá, em seu casamento que acontecerá em quatro semanas, obedecer ao príncipe Charles”.

Continua após a publicidade

Para ter uma ideia de como a mudança não foi bem recebida, quando Sarah Ferguson, hoje duquesa de York, se casou com o irmão de Charles, Andrew, em 1986, a palavrinha “obedecer” voltou aos votos. Não que ela tenha obedecido, na prática: Sarah causou um monte na Família Real, vale conhecer a história dela

Mas uma mudança dessas tem muito impacto. Kate Middleton, quando se casou com William, também deixou para lá a obediência. Assim como Meghan Markle, que prometeu amar e respeitar, mas não obedecer.

Casamento real
Os votos de Meghan e Harry, em inglês, no programa da cerimônia que foi distribuído aos convidados.

E hoje pode até parecer óbvio que em um relacionamento respeitoso e amoroso, ninguém precise jurar obediência ao outro. Mas se hoje pensamos assim, isso tem bastante a ver com a ousadia de Diana há 38 anos.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade