Chef Érick Jacquin fala sobre sequestro: “A vida passa em cinco minutos”

Jurado do MasterChef foi sequestrado em 1998 e pensou em sair do Brasil

O chef de cozinha e jurado do programa Masterchef Érick Jacquin revelou, em uma entrevista no programa ‘Pingue-Pongue com Bonfá’, no Youtube, ter sofrido um sequestro em 1998. Durante a revelação, acabou contando como foi o ocorrido e que até cogitou sair do Brasil.

Até então, Jacquin não queria falar sobre o tema, uma vez que o episódio foi traumatizante para o chef. Porém, mudou de ideia. O assunto veio à tona quando o apresentador Marcelo Bonfá perguntou se Jacquin já havia pensado em sair do Brasil. “(…) Eu falei que nunca mais ia falar isso, mas faz parte da minha história. Fui sequestrado em 1998, passei dois dias dentro do cativeiro, numa favela. Isso foi uma lição de vida”, contou.

O jurado foi questionado se chegou a pensar que morreria na ocasião, e ele afirmou que não. “(…) Eu sabia que não ia morrer. Não sei por que, mas não pensei nisso. Estava com mais medo de apanhar fisicamente. Eu só pensei nos outros, na vida que passa tudo em cinco minutos”, explica.

Érick Jacquin foi liberto quando os sequestradores foram presos, após muita negociação. “(…) Eles foram sacar dinheiro e foram presos. A polícia procurou e viu que o carro que eles estavam era meu.” Mesmo com o trauma, o chef afirmou que sua opinião sobre o Brasil não mudou.

“A gente deixa acumular essa violência longe de nós, nós somos egoístas, só vamos pensar nela quando ela te pega. Eu pensei em ir embora, mas eu pensei que tenho muito amigo brasileiro e pensei que isso não era o Brasil. Nós vivemos com isso, virou normal, a gente normalizou isso aí. É uma pena. Tem muita coisa boa aqui, o Brasil não é só isso”, conclui.

A entrevista completa pode ser vista aqui.

Leia também: Débora Nascimento e José Loreto mostram rosto da filha pela primeira vez

Siga CLAUDIA no Instagram