Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Dani Winits fez piada com violência doméstica, mas o assunto é sério

Internautas destacaram que o tema não pode ser tratado como piada. Nós lembramos como as mulheres são vulneráveis no Brasil

Por Isabella Marinelli 5 jun 2017, 13h32

Na última sexta-feira, a atriz Cacau Protásio compartilhou um vídeo em que Danielle Winits, maquiada para uma cena do filme Os Farofeiros, brinca que apanhou do marido, o também ator André Gonçalves. Na cena, ela diz que “a coisa ficou feia” e então Cacau recomenda que ela procure uma delegacia.

Quase de imediato, os internautas lembraram que violência doméstica não é tema para brincadeiras. Foram muitas críticas até que o vídeo foi apagado.

Há razão nos apontamentos: o assunto é sério. Embora, no papel, já tenhamos ferramentas poderosas contra a violência de gênero – incluindo a Lei Maria da Penha, internacionalmente reconhecida como uma das mais avançadas na questão –, o Brasil continua a figurar entre as cinco nações que mais matam mulheres no mundo.

Em 2016, a pesquisa “Visível e Invisível: a vitimização de mulheres no Brasil”, encomendada ao Datafolha pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com representatividade nacional, mostrou que 29% das mulheres brasileiras relataram ter sofrido algum tipo de violência. Os dados também apontaram que em 43% dos casos a agressão mais grave foi no domicílio.

CLAUDIA/CLAUDIA

O Atlas da Violência 2017, divulgado hoje (5/6), ainda mostra que cresceu a proporção de mulheres negras entre o total de mulheres vítimas de mortes por agressão, passando de 54,8% em 2005 para 65,3% em 2015. “Trocando em miúdos, 65,3% das mulheres assassinadas no Brasil no último ano eram negras, na evidência de que a combinação entre desigualdade de gênero e racismo é extremamente perversa e configura variável fundamental para compreendermos a violência letal contra a mulher no país”, afirma o texto.

Continua após a publicidade
Publicidade