CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

“Acho que a sedução faz parte do trabalho do ator”, afirma Domingos Montagner

O ator de Joia Rara insiste que é tímido, o que o torna ainda mais sedutor

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 11h35 - Publicado em 25 nov 2013, 21h00

Montagner posa no Galpão Gamboa, no Rio de Janeiro
Foto: Márcio Nunes

Ele surgiu já maduro nas novelas e, de mansinho, foi logo dominando o imaginário feminino. A ponto de ocupar lugar de destaque no primeiro time de galãs globais, ao lado de marmanjos que passaram décadas cativando o coração das mulheres. Mas, apesar de todo o sucesso, o que ele gosta mesmo é de se vestir de palhaço e fazer graça para entreter seu “respeitável público”. Domingos Montagner, 51 anos, que atualmente vive o operário Mundo de Joia Rara, começou a carreira assim e até hoje não abre mão desse antigo personagem. Para se divertir, e a trabalho! “Eu amo o circo e sempre fui apaixonado pelo palhaço. Mesmo depois da TV, continuo indo para a rua. Foi assim que comecei, em pequenas rodas, passando o chapéu”, relembra.

Em parceria com o palhaço Fernando Sampaio, 45, com quem começou no Circo Escola Picadeiro, em São Paulo, Montagner é sócio na Cia. La Mínima, que completou 15 anos em 2013. A ligação com o picadeiro já virou traço de família. Até seus filhos, Léo, 10, Antônio, 6, e Dante, 3, do casamento com Luciana Lima, 39, participam da brincadeira. Ou melhor, brincadeira não: “O circo é um negócio muito sério. Até escrevi para um jornalista que disse que o Congresso estava parecendo um circo. O circo não é bagunça”, defende. Os três meninos sempre acompanham os espetáculos do pai. “Eu levava o Leo na coxia quando ele tinha 4 meses. Eles já participaram e sabem que têm de levar a sério. Se quer estar ali, têm de chegar cedo, se arrumar, ensaiar. Isso é muito legal para trabalhar a disciplina”, destacou Montagner, que admite que ficaria muito feliz se eles seguissem a mesma carreira. “O teatro me deu tudo e é o que me faz mais feliz. Tenho minha família por causa do teatro (a mulher dele, Luciana, trabalha como produtora de La Mínima). Se meus filhos forem tão felizes quanto eu sou, por que não serem palhaços? Eu adoraria! Seria muito contraditório eu dizer que não”, confessou o ator, que encena a peça Mistero Buffo no Galpão Gamboa, na zona portuária do Rio de Janeiro, onde recebeu CONTIGO! para este ensaio.

Família no rio de janeiro

Desde que estreou na TV, em 2011, com Cordel Encantado, Montagner, que é paulista, vivia na maratona da ponte aérea Rio de Janeiro-São Paulo. Mas, em agosto último, ele e a família se mudaram para o Rio definitivamente. “Como emendei praticamente um trabalho no outro (depois de Cordel, vieram a minissérie O Brado Retumbante, a novela Salve Jorge e agora Joia Rara), estava viajando muito. E aí fui ficando um pouco cansado. Minha folga caiu num período que favorecia a transferência das crianças por causa do ano letivo. Consegui vagas na escola para eles começarem em agosto e terminarem o ano normalmente. Foi muito bom, porque veio todo mundo, bom demais. Eu sempre viajava para São Paulo na sexta-feira, mas várias vezes mudava o roteiro em cima da hora e eu não podia vê-los. Isso me dava uma dor no coração…”, lembra o ator.

"Acho que a sedução faz parte do trabalho do ator", afirma Domingos Montagner

Em Joia Rara o ator faz par romântico com Carolina Dieckmann
Foto: Márcio Nunes

Continua após a publicidade

Tímido… será?

Do tipo família, Montagner ainda fica um pouco envergonhado quando perguntam sobre sua fama de galã. “Tive de aprender a lidar com uma coisa com a qual nunca tinha lidado na vida… Não fujo do assunto, mas sou bastante tímido, especialmente quando falam disso. Na verdade, nem sei o que dizer. Não acho muita coisa de mim, nunca me preocupei com isso”, declara, admitindo ser romântico e sedutor, sim, mas apenas no palco. “Acho que a sedução faz parte do trabalho do ator, assim como do trabalho do vendedor. Seduzir significa trazer a atenção da pessoa para o que você pretende comunicar, quer seja uma conquista, um espetáculo ou uma venda. O ator tem isso. A gente usa de recursos para provocar essa aproximação do público. Na rua, por exemplo, as pessoas vão embora na hora se não se sentirem seduzidas. Tem de ir muito pela emoção, não é só o racional. Você tem de ser muito interessante o tempo todo. É um exercício de concentração. Mas não se pode confundir as coisas”, explica.

Ser o bonitão das novelas é tão fora do contexto para Montagner, que ele nem liga para os cabelos grisalhos. “Tenho 51 anos, ainda bem que tenho cabelos (risos)”, diverte-se o ator, que também só cuida do corpo por causa do ofício. “Nunca foi uma preocupação na minha vida malhar apenas para ficar em boa forma. Sempre cuidei do meu corpo, porque preciso dele no trabalho. Gosto de estar fisicamente preparado para poder oferecer mais possibilidades para os diretores”, justifica ele, que tem uma rotina equilibrada de malhação. “Continuo treinando um pouco de acrobacias e faço um treinamento de ginástica funcional. Também ando muito de bicicleta, uns 20 quilômetros às vezes. Já corri muito, corri até na São Silvestre quando era à noite, nos anos 1980. Era lindo! Mas fui parando por causa do joelho, da coluna. O circo é bonito, mas mostra a conta, é puxado.”

Sou pop, sim!

Com um contrato longo na Globo, o ator pretende continuar se dividindo entre o trabalho na La Mínima com o da televisão. “Tudo o que fiz em teatro até hoje, eu produzi, sem parar. Nesse tipo de teatro autoral, de companhia, a gente tem a possibilidade de ir se metendo em tudo. A TV aconteceu quase por acaso. Mas foi legal mudar a vida. Tem uma fase em que você percebe que está pronto para viver um desafio novo, e isso tem sido muito bom. Com O Brado (Retumbante) tive uma grande felicidade de ganhar o Prêmio Contigo! de Melhor Ator de Minissérie este ano. E de ser indicado para o Emmy Internacional (foi finalista na categoria Melhor Série Dramática, no evento que aconteceu na noite de segunda-feira, 25). Tenho tido momentos de reconhecimento muito interessantes na TV. Agora, em Joia Rara, o personagem é novamente político. Acho esse tema sensacional, é relevante, vivo, adulto”, conclui.

Família unida

Casado com a produtora Luciana Lima há 12 anos, Domingos Montagner é pai de Léo, Antônio e Dante. A família mudou-se de São Paulo para o Rio de Janeiro em agosto. Sempre muito discreto, raramente o ator é visto com os filhos em público, mas eles estão sempre juntos. Os meninos já o acompanharam até ao Projac!

ESTA ENTREVISTA FAZ PARTE DA EDIÇÃO 1993 DA CONTIGO!, NAS BANCAS EM 27/11/2013.

"Acho que a sedução faz parte do trabalho do ator", afirma Domingos Montagner

Passeio em família: Léo, Luciana, Dante (com o livro), Antônio e Domingos
Foto: Marcus Pavão/AgNews

Continua após a publicidade
Publicidade