CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

5 lições de Padre Marcelo para vencer a depressão!

O sacerdote acaba de lançar o livro 'Philia', no qual conta como superou a doença

Por Raquel Borges Atualizado em 22 jan 2020, 00h46 - Publicado em 31 mar 2015, 09h00

Desde 2007, o Padre Marcelo Rossi enfrenta um problema atrás do outro, o que o levou a uma depressão séria. Com muita fé, garra e o carinho do público que lê seus livros, o sacerdote vem superando os desafios e transformando sua experiência em lições de vida. Tanto que acaba de lançar o livro Philia (Editora Principium), no qual revela como enfrenta o chamado mal do século, cada vez mais disseminado na sociedade atual. “Certa manhã, enquanto fazia minhas orações, uma palavra surgiu em meu pensamento: philia. Era assim que os gregos definiam o amor dos pais por seus filhos, de um irmão por outro irmão e entre os cidadãos. Foi movido por esse amor que comecei a escrever”, contou.

Padre Marcelo queria falar sobre sua experiência pessoal e explicar como qualquer pessoa está sujeita à depressão. Mas, depois, atendendo a centenas de pedidos de orações e conselhos de fiéis, ele decidiu abordar 14 temas, incluindo depressão, ansiedade, tristeza, pessimismo, medo, remorso, vício, desemprego, maledicência, inveja, ciúme, ira, ingratidão e autoestima. A seguir, em uma entrevista exclusiva, ele fala de sua doença e ensina como curá-la.

Escreveu Philia quando ainda estava em depressão?
Sim! A linguagem é simples para ser entendida por todos. É um livro que me fez tão bem escrever que eu quero que faça bem para as outras pessoas.

Como a doença se manifestou para o senhor?
Eu, graças a Deus, sou superresponsável, celebrava todas as missas, atendia as pessoas. Mas é como você comer uma comida sem ter paladar nenhum. Não desejo isso a ninguém. Coloquei toda minha experiência de superação no livro e no CD (O Tempo de Deus), que se completam.

O ato de escrever foi o que o curou?
Busquei na palavra de Deus e na eucaristia forças para me libertar. Nunca na minha vida antes eu tinha tido insônia e foi durante esses momentos que consegui escrever. Eu jejuava, fazia orações e escrevia.

No seu entender, o que causa a depressão?
Muitas coisas. É o mal do mundo globalizado. Querendo ou não, a gente recebe muita informação e não sabe como lidar com ela. E as pessoas estão se isolando. E foi o que começou a acontecer comigo. O convívio com as outras pessoas é importantíssimo. A igreja foi fundada para isso, para estarmos unidos com nossos irmãos.

O senhor comentou que sua mãe, Wilma Mendonça, o ajudou a lutar contra a depressão, de que maneira?
Ela sempre me dizia uma passagem bíblica: “Tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus!” Então, eu sabia que tiraria algo de bom disso tudo, como o livro, mas sinceramente ali na hora eu não via nada de bom. E, graças a Deus, posso ajudar milhões de pessoas hoje.

Ficou algum remorso ou outro mal-estar dessa fase?
O remorso para mim está muito ligado à ingratidão. Porque é impressionante como as pessoas são ingratas e nós, muitas vezes, também somos assim com Deus. Por exemplo: eu como padre posso fazer 99 coisas boas, mas uma coisa que eu faça e que desagrade, a pessoa fica presa naquilo. A ingratidão dói, mas fui trabalhando isso e perdoando.

Os 14 capítulos de seu livro têm uma sequência importante para a cura?
Eu segui a sequência da minha libertação e ela só aconteceu no décimo passo. Os temas estão ligados. E continuo lendo o livro. O quarto capítulo, o do pessimismo, para mim ainda é muito forte. Eu estava caindo nele de novo, aí tive que reler.

Na obra, o senhor fala dos ensinamentos de seu avô, seu Alfredo? Tem saudade?
Ele foi fundamental! Do meu avô, eu herdei o gosto pela ginástica. Aos 90 e poucos anos, o médico proibiu que ele andasse. Então dei uma bicicleta ergométrica para o meu avô. Ele pedalava horas, por isso trincou o quadril e ficou cinco meses internado no hospital. Sabíamos que ele não resistiria à cirurgia. E esse foi um dos fatores que me fizeram entrar em depressão, as perdas.

Continua após a publicidade

Para finalizar, por favor, dê uma bênção especial de Páscoa para nossos leitores!
A Páscoa é a ressurreição de Cristo. Portanto, é o ato de sair da morte para a vida. Que realmente neste ano, mais do que nunca, seja atualizada a vida de Jesus em abundância! E tudo o que é morte (tristeza, inveja, ansiedade, ciúme) que vá embora! Que a paz reine e o philia, o amor fraternal, possa agir. Feliz Páscoa a todos!
 

Os 5 passos para a qualidade de vida 

A seguir, Padre Marcelo, que se considera curado, dá cinco lições para você não cair nas armadilhas da depressão e superá-la se ela já o atormenta. Confira!
 
1 “Café da manhã, almoço e jantar são sagrados, procure evitar comer sozinho. Coma sempre com a família, amigos, e nunca assistindo à televisão, pois assim acaba comendo errado.”

2 “Busque a oração individual em solidão (não isolamento) e na igreja.”

3 “Faça ginástica. Caminhe rápido por pelo menos 45 minutos. Isso provoca a liberação do hormônio do bem-estar, a endorfina. É melhor do que comer chocolate, porque não engorda.”

4 “Você tem que ter um tempo para viajar de férias por pelo menos 15 dias por ano, e sem sentir culpa. Só no décimo dia é que a gente se desliga das preocupações rotineiras.”

5 “Não deixe de dormir pelo menos oito horas por noite. A falta de sono acaba com qualquer um.”

 

Oração de Padre Marcelo para afastar as dores da alma que foi publicada no livro Philia

Divulgação
Divulgação

“Não estou presente fisicamente, mas feche os olhos e creia que Jesus, nosso Senhor, está neste momento à sua frente e toca sua fronte com a bênção divina. Ele irá curar você ou seus entes queridos. Neste momento de oração, sinta a presença de Deus. Esteja certo de que Ele está sempre disposto a trazer a paz e a dar um novo sentido para sua vida”.

Oremos:

“Pai, em Teu nome, venho pedir que abençoes meu irmão ou irmã (diga o nome da pessoa). Eu creio, Jesus, que estás colocando Tuas mãos sobre a fronte dessa pessoa. O Senhor conhece os problemas da vida dele (a) e que o (a) levaram à depressão. Eu Te peço, Jesus, extirpa o mal pela raiz. Traz a cura interior. Faz com que as lembranças que machucam possam ser substituídas por bons pensamentos.
Apaga, Senhor, tudo o que ficou gravado na mente dessa pessoa e que a faz perder o ânimo de viver, de comer, de trabalhar, de lutar, de amar. Agradeço, meu Deus, pela paz que neste momento invade a alma de (diga o nome da pessoa). Creio, em nome de Jesus, que sua mente está sendo preenchida pela luz do Espírito Santo. Obrigado, Jesus, porque Tua bênção é real e muitas pessoas estão experimentando Tua cura, tanto física quanto emocional e psicológica. Que de hoje em diante, (diga o nome da pessoa) levante-se de sua prostração e comece uma nova vida de vitórias. Pois o Senhor é meu Pastor e também será de (diga o nome da pessoa). Obrigado, meu Deus. Por isso eu abençoo esta pessoa em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. E profetizo que este meu irmão ou esta minha irmã, a partir de agora, nova criatura será, o mal não prevalecerá em sua vida. Amém!”

Continua após a publicidade

Publicidade