Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Dieta da Beyoncé vai muito além do veganismo

Marco Borges, autor de 'A Revolução de 22 Dias', explica o método criado por ele para adotar uma alimentação baseada em vegetais

Por Stefanie Silveira (colaboradora) Atualizado em 21 jan 2020, 17h04 - Publicado em 11 nov 2015, 10h47

Se o veganismo é a saída, por que há tantos veganos fora do peso ideal por aí? Essa foi a principal pergunta feita em entrevista para o fisiologista do esporte Marco Borges, autor do livro ‘A Revolução de 22 Dias’, onde explica a dieta que arrebatou o coração da diva Beyoncé. A resposta é a chave para entender seu programa de emagrecimento: não se trata apenas de ser vegano, mas de ter uma alimentação de verdade, baseada em vegetais e que passa longe de industrializados e processados.

“Batatas fritas, cookies, bolos, bolachas e doces podem ser veganos, mas não são necessariamente bons (saudáveis) para você! Por isso que A Revolução de 22 dias é um programa baseado em vegetais, comida vindo de plantas e o mais próximo possível de nada processadas”.

Ou seja, a ideia não é apenas comer mais vegetais, mas trocar todas as “coisas ruins” que estão na dieta por pratos baseados em vegetais, leguminosas e grãos.

Beyoncé entendeu e adotou a proposta, tanto que é a autora do prefácio do livro, onde conta que achou que não conseguiria no começo, mas depois tomou a dieta como estilo de vida.

“Achei que sentiria privações e detestaria a comida, que não poderia comer em restaurantes ou em festas, que teria dores de cabeça e ficaria irritada etc., como acontece na maioria dos regimes. Estava completamente enganada. Levei alguns dias para me acostumar, e o resultado foi aumento de energia, um sono melhor, perda de peso, melhor digestão, lucidez e uma incrível sensação positiva relacionada às minhas atitudes e ao efeito delas sobre o meio ambiente e sobre as pessoas à minha volta”, diz a cantora no prefácio.  

A ideia de 22 dias vem de pesquisas feitas por Borges nas quais ele encontrou dados que afirmam que uma pessoa leva 21 dias para criar um hábito. Isso, segundo ele, seria o suficiente para que no 22º dia de dieta, a pessoa já estivesse suficientemente adaptada para seguir com um novo formato de alimentação. Para ele, isso inclusive serve de estímulo para quem deseja experimentar.

Reprodução / Giphy
Reprodução / Giphy

“São apenas três semanas. O desafio é sempre começar, porque muitas pessoas pensam que vai ser muito difícil ou que a comida não é boa, mas a realidade é que é incrivelmente fácil e a comida é muito gostosa”.

Continua após a publicidade

Borges ajuda quem está disposto. O livro conta com cardápios para todos os 22 dias de desafio (com três refeições diárias) e uma lista de compras para cada semana da dieta (3 ao todo). Há ainda uma série de receitas para os dias que se seguem após completar o desafio inicial e também dicas de como permanecer com uma alimentação baseada em vegetais e balanceada.

Para começar, a dica é “tire os industrializados e processados da despensa”, isso vai evitar recaídas. Além disso, outros pontos da dieta incluem:

  • Elimine açúcar e adoçantes
  • Elimine a farinha de trigo branca
  • Elimine laticínios
  • Elimine carnes
  • Elimine industrializados e processados
  • Elimine o glúten
  • Elimine o álcool
  • Prefira orgânicos
  • Prefira produtores locais
  • Prefira legumes, frutas e hortaliças frescos
  • Faça pelo menos 30 minutos de atividade física diariamente

Borges é vegano há 10 anos e explica que, além da parte da alimentação e saúde, também orienta seus pacientes sobre os benefícios que o estilo de alimentação traz ao planeta e aos animais.

“As pessoas precisam entender de onde vem a comida que elas consomem e os efeitos que ela tem no meio ambiente e como isso impacta o tratamento dos animais”.

Em seu livro ele ainda acrescenta que o modo ocidental de priorizar carne, laticínios ovos, processados e industrializados na alimentação é uma das causas da maioria das doenças que acometem as pessoas atualmente.

“Os vegetais são uma fonte alimentar superior para os seres humanos, devido aos nutrientes e também pelo seu impacto ambiental. Como indivíduos e como sociedade, consumir vegetais faz mais sentido do que comer animais.”

Outras dicas de Borges para adotar um estilo de alimentação baseado em vegetais são:  

  • Procure chegar a 80% de satisfação na refeição. Esqueça a ideia de ficar estufado.
  • Procure obter 80-10-10 (80% de carboidratos, 10% de gorduras e 10% de proteínas)
  • Beba água, não beba as suas calorias

O criador da dieta diz ainda que a adoção da alimentação baseada em vegetais é responsável por inúmeros benefícios além da perda de peso. Riscos de doenças como diabetes, problemas cardíacos e câncer são drasticamente reduzidos.

“Nós todos encontramos tempo para as coisas que são mais importantes para nós. Não há esforço extra na dieta ou mais tempo necessário para ela. Todos nós escolhemos o quão saudáveis queremos ser a cada momento que nos alimentamos.”

Continua após a publicidade
Publicidade