CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

De dentro para fora! Vitaminas e alimentos que melhoram a pele

Vitaminas A, C, D e E têm funções específicas que ajudam a manter a pele jovem e devem ser inseridas em um plano alimentar equilibrado

Por Da Redação Atualizado em 28 jun 2022, 17h19 - Publicado em 29 jun 2022, 08h43

Não é exagerado pensar que a pele precisa de todas as vitaminas para permanecer saudável, mas existem algumas que são realmente fundamentais e indispensáveis. Vamos juntas saber mais sobre o assunto? CLAUDIA explica essa relação e te conta quais são os alimentos que melhoram a pele e promovem a beleza de dentro para fora.

“Todas as vitaminas são importantes, mas entre as principais que são necessárias para uma pele saudável podemos destacar a vitamina C, essencial para a síntese de colágeno e importante antioxidante do compartimento hidrofílico da pele, a vitamina E, que é um dos principais antioxidantes lipofílicos da pele, além da vitamina D, necessária para a manutenção da homeostase e respostas imunes adequadas, que impactam diretamente o revestimento cutâneo”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Além disso, podemos incluir também a vitamina A: “Quando pensamos em saúde de pele e vitaminas, nos preocupamos com micronutrientes que atuam contra radicais livres que causam danos celulares tais como envelhecimento e lesões malignas. As vitaminas que têm ação contra esses radicais livres são vitamina A, C e E”, destaca a Cláudia Merlo, médica especialista em Dermatologia e Cosmiatria pelo Instituto BWS.

Segundo Cláudia, é possível encontrar essas vitaminas em alimentos encontrados diariamente em uma alimentação balanceada. “A vitamina A está presente na cenoura, abóbora, couve, brócolis, mamão; a vitamina C é encontrada no caju, morango, laranja, abacaxi, couve, goiaba; já a vitamina E pode ser encontrada em ovos, fígados, castanhas, salmão”, diz. A médica nutróloga acrescenta que a vitamina E também está presente nos vegetais verde-escuros, sementes oleaginosas e óleos vegetais.

Tanto a Vitamina C quanto a E devem ser consumidas diariamente. “A vitamina D pode ser sintetizada a partir da exposição solar e obtida através do consumo de gorduras de origem animal”, explica Marcella.

Continua após a publicidade

As vitaminas que têm ação antioxidante agem contra o envelhecimento, pois os radicais livres são grandes vilões para saúde geral do organismo e da pele. “O excesso de radicais livres é um fator positivo ao envelhecimento, eles são produzidos no nosso organismo diariamente e neutralizados pelos antioxidantes. As vitaminas com mais estudos científicos que possuem ação antioxidante são as vitaminas A, C e E. Elas combatem o excesso de radicais livres e auxiliam na manutenção da integridade das células, auxiliando na prevenção do envelhecimento cutâneo”, destaca Cláudia.

“A principal é a vitamina C, que é necessária para a formação das fibras de colágeno. Além dela, é necessário o aporte proteico suficiente para a chegada de aminoácidos específicos nos tecidos conjuntivos, entre eles a derme. As principais fontes de vitamina C são as frutas cítricas e vegetais”, completa Marcella.

nutricosméticos
Nutricosméticos ajudam, mas não substituem a ingestão de vitaminas pela alimentação. Klaus Nielsen/Pexels

E os nutricosméticos?

Os Nutricosméticos que associam vitaminas, minerais, antioxidantes e até probióticos, vendidos nas gôndolas das farmácias, podem ser benéficos, segundo Marcella, se utilizados para as indicações às quais se aplicam, pois cada produto tem suas indicações, doses e funcionalidades específicas. “É importante lembrar que esses produtos não se prestam a corrigir deficiências, tampouco tratar patologias cutâneas. São indicados para o consumo frequente por um período prolongado para que seus efeitos sejam observados”, conta a médica nutróloga.

“Toda medicação deve ser indicada pelo seu médico, pois essas vitaminas têm dosagem diferentes para cada objetivo e muitas vezes, quando associadas com outros nutracêuticos, potencializam a ação antioxidante”, diz  Cláudia.

“As pessoas precisam cada vez mais manter um estilo de vida mais saudável a fim de reduzir o estresse oxidativo. Incluir na rotina alimentação saudável, evitar fumo e álcool, cuidar da saúde mental, praticar atividades física, pois o cuidado deve ser global para evitar danos inflamatórios nas nossas células que são causados por fatores intrínsecos e extrínsecos. Portanto, somente a ingestão isoladamente dessas vitaminas não atinge o objetivo de uma saúde de pele”, finaliza a dermatologista.

Continua após a publicidade

Publicidade