CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Baiana de 24 anos vence prêmio de poesia. Leia um poema

O Prêmio Dandaras de Poesia, promovido pela editora Feminas, visa tornar conhecidas mais autoras negras. A obra de Lavínia Mendes será publicada em julho

Por Da Redação Atualizado em 28 Maio 2021, 10h58 - Publicado em 28 Maio 2021, 10h30

Raízes mãe

Razão biológica do meu nascimento

Razão cultural da minha existência

Razão política dos meus posicionamentos

Razão intelectual da minha sabedoria

Das nascentes a água jorra

Irrigam cada capilar

Por fim, os rios se interligam

A força da natureza se manifesta

Pulsa nas veias da Terra

Os genes do poder da sobrevivência

Minas de cultura não estáticas

Meu corpo como rizoma

Artérias em forma de mãe, avó, bisavó

Árvores de tamanhos inacreditáveis

Raízes não apreensíveis a olhos nus

Continua após a publicidade

Profundidades que merecem atenção

As veias herdeiras bombeiam

Esse corpo que vos escrevem

Fortes, esparsas, descentradas

Ancestralidade é armadura

Essas histórias não serão contadas

Nos livros que se autoafirmam importantes.

Nessas folhas, mulheres pretas são raízes

Teias firmes continuam entrelaçadas.

 

Lavínia usa óculos e olha para a câmera
Acervo pessoal/Divulgação

Lavínia de Sousa Almeida Mendes (@myliveblack) venceu o Prêmio Dandaras de Poesia, promovido pela editora Feminas (@editorafeminas) para tornar conhecidas mais autoras negras. A obra Rascunhos de Minh’alma será publicada em julho pelo selo. A baiana de 24 anos é licenciada em História e usa a escrita como forma de resistir, existir e desenhar.

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade