Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Relembre 9 músicas marcantes de Amy Winehouse

A cantora inglesa que, em apenas oito anos, virou um fenômeno pop, teria 37 anos em 2020

Por Ana Claudia Paixão
Atualizado em 8 out 2020, 17h56 - Publicado em 23 jul 2020, 20h00

Amy Winehouse teve uma carreira curta, mas marcante. Original, única, talentosa e conflituosa, a cantora britânica morreu em casa, há nove anos, em 23 de julho de 2011.  Sua vida com histórico de excessos de drogas e álcool encerrou sua trajetória aos 27 anos de idade, cantada por ela com honestidade.

Amy amava jazz e sua voz lembrava a de Billie Holiday. Nascida e criada em Londres, filha de um pai taxista (e músico) e mãe farmacêutica, a cantora teve uma adolescência rebelde. “Quando cheguei aos 15 anos, meus pais perceberam que eu faria o que queria”, ela disse em uma entrevista.

(ARTE/CLAUDIA)

Seu álbum de estreia, Frank, de 2003, revelou uma jovem de 19 anos com profundidade musical e também letrista, cantando as dores da primeira separação amorosa. Os críticos disseram que o som de Amy era “jazz e soul clássicos, cantados por uma jovem moderna, curtidora de moda e de noitadas”. Frank ganhou prêmios e deu notoriedade à ela, mas foi o álbum seguinte, Back to Black, em 2006, que fez de Amy um fenômeno. Incorporando o som da gravadora Motown, o CD é uma lista de canções imediatamente clássicas, como a que dá título ao álbum, assim como Rehab e Love is a Losing Game, entre outras. Foi nesse período que Amy adotou o visual que se tornou sua marca registrada, com cabelo em coque, saias curtas, muitas tatuagens e salto alto.

(Vince Bucci/Getty Images for MTV/Getty Images)

O sucesso de Back to Black e a exposição mundial de Amy trouxeram mais dores que alegrias para a cantora. A pressão da fama, o casamento tumultuoso com Blake Fieder-Civil, a dependência das drogas, tudo ganhou espaço na mídia, torturando a tímida Amy, que não buscava esse tipo de atenção. A vida desregrada começou a interferir na qualidade de suas apresentações, cada vez mais raras.

A separação de Blake, em 2009, trouxe um período de sobriedade e ela voltou a compor. Gravar com Tony Bennet foi um dos momentos mais emocionantes para a cantora, que cresceu ouvindo seus discos. Infelizmente, a saúde frágil dos anos anteriores não permitiu que Amy seguisse o caminho musical que encantou tanta gente. Hoje (23), na data do aniversário de nove anos de morte de Amy Winehouse, sua mãe, Janis, fez uma homenagem à filha.  Ela postou um dos saltos de Amy, ao lado de uma vela, assinando “Com amor, Janis”.

Em homenagem à uma das grandes cantoras dos anos 2000, relembramos nove sucessos de sua discografia em uma playlist especial. Saudades de Amy. Sempre!

Continua após a publicidade

Ouça essas e outras músicas no Amazon Music! Teste grátis por 30 dias.

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.