Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Por dentro da nova galeria dedicada a Yayoi Kusama em Inhotim

20ª galeria permanente do Inhotim, maior museu a céu aberto do mundo, exibe duas instalações da artista japonesa

Por Marina Marques Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
13 ago 2023, 11h34

Você pode não se identificar com o trabalho de Yayoi Kusama, mas é impossível não se sentir impactado por suas obras, caracterizadas pela imersão e pela provocação. É exatamente assim que Júlia Rebouças, diretora artística do Instituto Inhotim, enxerga a carreira da artista japonesa: “É um trabalho engajador, porque você pode até não se identificar, mas não sai indiferente”.

A artista de 94 anos, nascida em Matsumoto, é a mais nova homenageada pelo Inhotim, maior museu a céu aberto do mundo, localizado em Brumadinho (MG). Inaugurada em 16 de julho, a vigésima galeria permanente do espaço abriga agora duas obras da artista: I’m Here, But Nothing (2000) e Aftermath of Obliteration of Eternity (2009).

Fachada da Galeria Yayoi Kusama, em Inhotim
O jardim planejado é inspirado em um jardim tropical multicolorido e apresenta mais de 4 mil bromélias (Ícaro Moreno/Divulgação)

O impacto causado pelo novo espaço já acontece antes mesmo do visitante entrar nas obras. Conforme explica Allan Schwartzman, cofundador do Inhotim, a intenção de criar uma parede revestida com chapas metálicas é exatamente causar curiosidade sobre o que elas escondem.

Continua após a publicidade

Com uma área de quase 1.500 metros quadrados, o projeto arquitetônico foi desenvolvido por Fernando Maculan e Maria Paz e levou em conta a popularidade da artista e nas filas que suas obras costumam atrair. A área verde que recebe os visitantes é inspirada em um jardim tropical multicolorido, onde foram plantadas mais de quatro mil bromélias, todas cheias de pintinhas, em referência à artista.

Fachada da Galeria Yayoi Kusama, em Inhotim
Com uma área de 1.436,97 m², o projeto arquitetônico da nova galeria foi desenvolvido pelos arquitetos Fernando Maculan e Maria Paz (Ícaro Moreno/Divulgação)

“As Congeas, plantas trepadeiras, daqui cerca de quatro anos vão abraçar todo o teto da galeria. A ideia é criar um ambiente escuro, para que os olhos já se acostumem com o interior das salas”, explica Juliano Borin, curador Botânico do Inhotim, que revela ainda que as pedras do jardim foram inseridas de forma com que fiquem inclinadas em direção ao Japão.

I’m Here, But Nothing (2000)

A obra 'I’m Here, But Nothing (2000)', de Yayoi Kusama
A obra ‘I’m Here, But Nothing (2000)’ apresenta um espaço doméstico com pontos coloridos que são iluminado por luz negra (Daniel Mansur/Divulgação)

Em I’m Here, But Nothing, a primeira impressão é de entrar num universo de diversão, preenchido por bolinhas que brilham no escuro – impossível não querer tirar dezenas de fotos. Ao observar com mais cautela, vemos que a sala recria um ambiente comum de um lar, com mesa, sofá e até televisão. A obra faz referência ao conceito da artista de anulação de si mesma (auto-obliteração), remetendo à dissolução do espectador no próprio ambiente.

View this post on Instagram

A post shared by CLAUDIA (@claudiaonline)

Aftermath of Obliteration of Eternity (2009)

A obra 'Aftermath of Obliteration of Eternity (2009)', de Yayoi Kusama
A obra ‘Aftermath of Obliteration of Eternity (2009)’ é uma das duas novas obras de Yayoi Kusama em Inhotim (Daniel Mansur/Divulgação)

Aftermath of Obliteration of Eternity proporciona uma experiência individual, ou quase – são permitidas duas pessoas por vez na sala. Nela, Kusama nos coloca numa posição de contemplação: a obra é composta por uma sala escura, rodeada por espelhos e lanternas que esmaecem à medida que nossa percepção se afasta da realidade. O tempo de permanência é de apenas um minuto, que parece passar num piscar de olhos e deixa aquela vontade de curtir mais um pouquinho.

Continua após a publicidade

Os ingressos de acesso ao Inhotim custam R$ 50 e você encontra em inhotim.org.br

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

O mundo está mudando. O tempo todo.
Acompanhe por CLAUDIA e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.

Acompanhe por CLAUDIA.

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.