Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

20 curiosidades fascinantes sobre O Casamento do Meu Melhor Amigo

Sim, em 2017, o longa completa 20 anos. E essa é nossa homenagem. <3

Por Lucas Castilho - Atualizado em 20 jan 2020, 23h28 - Publicado em 4 jan 2017, 19h09

20 anos! Sim, em 2017, o “Casamento do Meu Melhor Amigo”, uma das melhores comédias românticas de todos os tempos e atualmente disponível na Netflix, completa 20 anos. E, olha, não poderia ter envelhecido melhor.

Leia Mais: 19 filmes que são grandes pérolas secretas da Netflix

Com um roteiro subversivo e diferente de quase tudo apresentado por Hollywood até então, o longa já inovou na protagonista. Julianne Potter, interpretada pela mocinha preferida das audiências na década de 1990, Julia Roberts, foi uma das primeiras anti-heroínas a pipocar no cinema.

Leia Mais: Pare de achar que Audrey Hepburn foi apenas uma bonequinha de luxo

Moderna, egoísta, autocentrada, ela era uma mulher cheia de falhas, mas que queria acertar. E essa é a grande sacada desse filme, tratado normalmente como “história de ‘Sessão da Tarde'”: fazer o público torcer por alguém que, na verdade, estava agindo para sabotar a felicidade alheia.

o-casamento-do-meu-melhor-amigo

Mas, do jeito dela, Jules estava tentando, pela primeira vez e de uma forma desastrada e questionável, é verdade, dizer para o homem pela qual estava por NOVE anos envolvida que, na verdade, estava apaixonada por ele, sim. Porém, ele não estava apaixonado por ela – e nunca agiu como se estivesse.

Seria reconfortante ver Julia Roberts destruir aquele casamento e agarrar o “mocinho”? Bizarramente, sim – mesmo Kimberly, interpretada por uma maravilhosamente carismática Cameron Diaz, sendo incrível do jeito que era. Mas o filme rasga a cartilha das comédias românticas e mostra o valor dele. Julianne termina apaixonada e sozinha. E tudo bem.

Como disse George (Rupert Everett), o verdadeiro melhor amigo de Jules, para ela: “Michael está atrás de Kimmy, você está atrás de Michael. Mas quem está atrás de você? Ninguém. Entendeu?”

A grande mensagem que não envelhece? Às vezes, só o amor não é suficiente. E tudo bem também.

Abaixo, em homenagem a esse clássico, 20 curiosidades fascinantes!

1. O papel principal do filme, o de Julianne, foi oferecido, em primeiro lugar, para Sarah Jessica Parker. Mas, por causa da série “Sex and the City” que ela havia acabado de assinar contrato, acabou por recusar o convite. Aí, ainda bem, Julia Roberts entrou no barco. Se SJP tivesse aceitado, talvez não teríamos nem Carrie Bradshaw, nem uma Julia arrasadora no papel de Jules.

2. Dermot Mulroney só foi contratado como Michael, após Edward Burns recusar o papel.

3. Cameron Diaz foi indicada por Julia Roberts para interpretar Kimberly. Dedo bom, hein?!

o-casamento-do-meu-melhor-amigo

4. Antes de Julia se envolver e indicar Cameron Diaz, Drew Barrymore estava prestes a assinar contrato para o papel de Kimberly. Uma decisão mais do que acertada, já que a interpretação estelar de Diaz no filme fez dela uma atriz da lista A de Hollywood e, bem, Drew, logo em seguida, assinou para protagonizar “Nunca Fui Beijada”, “Para Sempre Cinderella” e “Afinado no Amor”, voltando a ser uma das queridinhas do mundo do entretenimento.

Leia Mais: Drew Barrymore: conheça a história de superação por trás da fama

5. Michael chama Julianne pelo apelido de Jules que, por coincidência, é também como os amigos de Julia Roberts chamam ela na vida real.

Continua após a publicidade

6. Laura Dern também foi considerada para o papel de Kimberly.

7. O papel de George (Rupert Everett em atuação engraçadíssima e memorável!), no roteiro inicial, era para ser apenas uma participação. Mas exibições-teste do filme mostraram que a audiência reagia superbem quando o personagem contracenava com Julia Roberts. Resultado? Várias novas cenas foram escritas, além de solidificar no imaginário popular o estereótipo do “melhor amigo gay” (que dura até hoje!).

o-casamento-do-meu-melhor-amigo

8. Existe uma versão diferente da cena final. Nela, olha o absurdo, Julianne não dança com George. O público, claro, rejeitou veementemente esse final alternativo.

9. Julia Roberts tinha 30 anos quando interpretou Julianne, uma crítica gastronômica de 27 anos.

10. Cameron Diaz e Rupert Everett estrelaram juntos os filmes de Shrek, interpretando Fiona e o Príncipe Encantado, respectivamente.

11. 16 anos depois, Julia Roberts e Dermot Mulroney também voltaram a contracenar. Por “Álbum de Família”, comédia de 2013, a atriz recebeu uma indicação ao Oscar.

12. Lembra do final alternativo rejeitado? Então, originalmente, o filme deveria terminar com Julianne dançado com um novo homem no casamento. Interpretado por John Corbett, que depois viveria, veja só a ironia, o icônico Aidan, par de Sarah Jessica Parker em “Sex and the City”, o personagem não ganhou a simpatia da audiência nos testes e foi limado. Caso a cena tivesse ido para o corte final, o longa seria muito menos controverso e relevante do que é.

o-casamento-do-meu-melhor-amigo

13. Com um orçamento “modesto” de R$ 38 milhões de dólares e uma arrecadação de mais de 300 milhões de dólares pelo mundo, “O Casamento do Meu Melhor Amigo” tornou-se um dos 10 filmes mais bem-sucedidos de 1997 e fez de Julia Roberts a Rainha das bilheterias no fim da década – ajudada, também, pelos hits “Um Lugar chamado Notting Hill” e “Noiva em Fuga”.

14. Sensacional, a trilha sonora do filme é uma coletânea de sucessos pop da década de 1690 compostos por Burt Bacharach e Hal David. Foi merecidamente indicada ao Oscar.

15. Originalmente, a maioria das músicas presente na trilha era cantada por Dionne Warwick.

16. Acredite se quiser, mas existe uma versão chinesa do filme. Lançado em 2016, o remake, no entanto, traz algumas pequenas diferenças. Jules, por exemplo, que se chama Gu Gia, é uma editora de moda, em vez de crítica gastronômica.

o-casamento-do-meu-melhor-amigo3

17. Mesmo após 20 anos do lançamento do filme, Julia e Dermot ainda são MUITO amigos na vida real.

18. A cena na qual Kimberly atira o buquê não foi filmada em estúdio, mas em uma locação real, a mansão Cuneo, em Illinois, nos Estados Unidos. E, bem, durante a gravação, a produção precisou tirar um dos tapetes para que tudo saísse perfeito. Acontece que, após o término das filmagens, ninguém sabia o paradeiro da peça. Enfim, alguns meses depois ela reapareceu.

19. Em 2001, surgiram alguns boatos de uma possível sequência para o filme. Chamada de “O Divórcio do Meu Melhor Amigo”, a ideia (ainda bem!) nunca foi para frente.

20. Apesar dos planos de um novo filme nunca saírem do papel, em 2015, a rede de TV norte-americana ABC deu sinal verde para uma comédia de meia hora baseada no roteiro original do longa. A série seria centrada na vida glamourosa de Jules e George em Nova York, porém, mais de um ano após o anúncio, nenhuma nova informação foi divulgada…

Continua após a publicidade
Publicidade