Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Claudia Di Moura: “Não dá mais para falar de nós sem nós”

Atriz e empresária reflete sobre representatividade e diversidade no mercado audiovisual brasileiro

Por Sarah Brito
Atualizado em 18 jun 2024, 13h58 - Publicado em 17 jun 2024, 16h23

Impossível falar de Claudia Di Moura sem relembrar de sua presença marcante na televisão brasileiraAos 59 anos, a atriz e empresária já deu vida a personagens femininas tão potentes quanto sua influência no ramo, embora seu coração esteja profundamente costurado aos palcos do teatro.

“Estar na televisão nunca foi uma primeira escolha, embora também nunca mantivesse essa porta fechada. A minha terra natal é o teatro, a minha nascente.”

Em entrevista inédita a CLAUDIA, a atriz comentou sobre a ascensão de pautas representativas no mercado visual, além de externar suas conexões com a arte e a ancestralidade, que juntas, podem facilmente ser descritas como uma herança única.

Nascida e orgulhosamente criada (como ela mesma descreve) em Salvador, Bahia, seu nome foi dado em homenagem à revista CLAUDIA que, no ano de seu nascimento,1965, completava o terceiro ano de existência.

Entrevista Claudia Di Moura: “Não dá mais para falar de nós sem nós”
Nascida na capital baiana, Claudia revela conexão potente com suas raízes e trabalhos na televisão brasileira (Pablo Alcantra GROTTO/Divulgação)

“Meu pai mudou meu nome para Claudia a caminho do cartório por conta da revista (risos). Por aí você já imagina como era o meu pai: um homem visionário, à frente do seu tempo. Ele sabia que eu seria essa pessoa e que precisava ser uma mulher livre, potente e independente”, revela a atriz ao relembrar da figura paterna. 

Ao longo de sua jornada na arte, Claudia vivenciou experiências marcantes nos palcos de teatro até chegar as extensas filmagens de novelas na TV Globo, onde encontrou grandes oportunidades, mas também obstáculos de uma indústria racialmente enviesada.

Permitir ser conduzida através do seu legado artístico a fez uma combatente assídua neste cenário, carregando consigo sua identidade e ancestralidade única.

“Eu sempre estive em busca de contar novas histórias e personagens que fossem intrigantes e que falassem do meu coração. Foi a partir daí que virei essa atriz empreendedora de si, pois comecei a perceber que eu precisava orquestrar minha própria dança, porque ninguém me chamava para dançar”, conta. 

Continua após a publicidade

Seu primeiro papel na TV foi em 2018, na novela Segundo Sol, de João Emanuel Carneiro. No folhetim, Claudia interpretou a doméstica Zefa, uma personagem decisiva na trama da família Athayde, que logo caiu no favoritismo do público após desmascarar escândalos e descasos de uma família disfuncional perto da falência.

Entrevista Claudia Di Moura: “Não dá mais para falar de nós sem nós”
“É preciso incluir cada povo em seu devido protagonismo, sejam eles quais forem. Não dá mais para falar de nós sem nós” – Claudia Di Moura (Pablo Alcantra GROTTO/Reprodução)

De lá pra cá, suas personagens têm ganho cada vez mais a sua identidade, que segundo ela mesma, são características indispensáveis em pautas de representatividade e inclusão no mercado do audiovisual. 

“Sendo uma mulher afro-indígena, eu acredito que a matriz da questão sejam exclusivamente as narrativas. É preciso incluir cada povo em seu devido protagonismo, sejam eles quais forem. Não dá mais para falar de nós sem nós”, declara.

Continua após a publicidade

Representatividade para além das câmeras

Prova dessa representatividade estão em seus últimos trabalhos. Na série Luz, por exemplo, dirigida por Thiago Teitelroit e produzida pela Netflix, Claudia fez questão de exaltar e homenagear essa potência presente em suas raízes.

Interpretando a personagem , uma pagé à frente da comunidade Kaingang, – a terceira maior do país – Claudia ficou responsável por viver a matriarca que acolhe e lidera espiritualmente a protagonista Luz, uma garotinha de 9 anos que busca por respostas sobre suas origens após se tornar órfã.

Entrevista Claudia Di Moura: “Não dá mais para falar de nós sem nós”
Na produção infanto-juvenil, Claudia Di Moura interpreta a pagé Gá, líder espiritual responsável pelo povo Kaingang e ponte de conexão ancestral da protagonista Luz (Netflix/Reprodução)

“Essa é uma série que fala de representatividade para além das telas. Existiu ali uma inclusão dentro e fora dos bastidores, e ter a oportunidade de estar inserida na cultura e cotidiano da terceira maior comunidade indígena do país foi um imenso privilégio”, revela Claudia.

Continua após a publicidade

A atriz ainda enfatiza que é através dessa mesma representatividade, que caminha a passos um tanto quanto largos na indústria , que ela deposita suas expectativas e esperança de um futuro ainda mais inclusivo na arte.

“Eu acho que o que falta é essa apropriação e vontade de derrubar esse sistema que acha que pode falar sobre nós e por nós. Claro que existe um avanço, eu acabei de fazer parte de uma série que 87% do elenco e de toda a produção era preta, mas isso ainda é só o começo. Isso é pouco para 500 anos de história”.

Assine a newsletter de CLAUDIA

Receba seleções especiais de receitas, além das melhores dicas de amor & sexo. E o melhor: sem pagar nada. Inscreva-se abaixo para receber as nossas newsletters:

Continua após a publicidade

Acompanhe o nosso Whatsapp

Quer receber as últimas notícias, receitas e matérias incríveis de CLAUDIA direto no seu celular? É só se inscrever aqui, no nosso canal no WhatsApp

Continua após a publicidade

Acesse as notícias através de nosso app 

Com o aplicativo de CLAUDIA, disponível para iOS e Android, você confere as edições impressas na íntegra, e ainda ganha acesso ilimitado ao conteúdo dos apps de todos os títulos Abril, como Veja, Superinteressante e Capricho. 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.