Awkwafina: a incrível atriz para ficar de olho em 2020

Ela roubou a cena como coadjuvante de "Podres de Ricos" e “Oito Mulheres e Um Segredo”. Agora, venceu o Globo de Ouro como a protagonista de “The Farewell”.

Vencedora do Globo de Ouro de Melhor Atriz em Comédia ou Musical com o filme “The Farewell”, a jovem Awkwafina brilhou na noite de domingo (5) e promete muito mais para o ano de 2020, e os próximos que virão.

O nome parece difícil, mas a pronúncia é bem simples: Aquafina. A escolha do nome artístico surgiu aos 15 anos de idade, quando ela ainda utilizava a grafia normal da palavra. Por ser muito parecida com a marca de uma água mineral, ela acabou mudando o jeito de escreve-lo. “Quando começaram a me chamar por esse nome, não acreditei, era tão bobo. Mas eu não ligo”, disse ela, em entrevista a Galore.

Nascida nos Estados Unidos e filha de uma sul-coreana e um sino-americano, seu nome de batismo é Nora Lum. A atriz formou-se em jornalismo e Estudos Femininos da Universidade Estadual de Nova Iorque.

Aos 31 anos, Awkwafina também é rapper (isso mesmo, você não leu errado). Em 2012, ela ficou conhecida pela música “My Vag” em que ela fala de vaginas. A faixa é uma resposta à música “My Dick“, do rapper Mickey Avalon.

Seu primeiro disco, “Yellow Ranger”, foi lançado em 2014 e, em 2018, veio o EP “In Fina We Trust”. Na carreira como atriz, deu os primeiros passos na série “Dude” e, posteriormente, se destacou no filme “Oito Mulheres e Um Segredo”, ao lado de nomes como Sandra Bullock e Cate Blanchett. A partir daí, Awkwafina passou a ser notada em Hollywood.

Desde então, a artista tem trabalhado muito no cinema e na TV. Em 2018, depois de “Oito Mulheres e Um Segredo”, ela também atuou em “Podres de Ricos” – a comédia mais comentada daquele ano. Mais recentemente, em 2019, finalmente Awkwafina emplacou um trabalho importante como protagonista – e o prestígio veio em forma de Globo de Ouro.

Emocionantemente divertido “The Farewell”

O filme mostra a reação de uma família ao descobrir que a avó tem uma doença em fase terminal. É uma trama sobre partida, mas cheia de vida e diversão, e Awkwafina usa toda a sua desenvoltura para misturar o drama com o cômico e tornar o filme leve e contagiante apesar de todo o contexto.

Sua atuação sincera consegue trazer sensibilidade a Billi, uma jovem de origem chinesa que foi criada nos Estados Unidos. O filme se intitula como “uma mentira verdadeira” e fala sobre cultura e tradição – na China a morte é vista como um processo da vida e não como algo doloroso. Apesar de estar concorrendo como comédia, “The Farewell” tem boas doses de drama, o que comprova a versatilidade da atriz.

Infelizmente, ainda não há data de estreia prevista no Brasil.

Confira o trailer abaixo:

A ascenção de Awkwafina em Hollywood acontece justamente quando o tema da igualdade étnica está em alta. Com isso, ela se torna – direta e indiretamente – uma voz potente sobre diversidade e representatividade.

Ela foi primeira americana de origem asiática a vencer um Globo de Ouro nas categorias de atuação – que por hora é um motivo de comemoração, mas também de refletir em como as raças e etnias tem sido representadas no mercado cinematográfico. Vale lembrar que a canadense Sandra Oh, mulher de origem coreana, é a pioneira dentre as atrizes asiáticas na premiação. Ela já tem dois Globos de Ouro na estante, vencidos em 2006 e 2019.

É bom ficar de olhos bem abertos com a rapper/atriz/comediante. Com um talento flexível, é possível vê-la caminhando em diversos gêneros e adaptações, dando vida e emoção a diferentes personagens. Em 2020 poderemos ver o talento de Awkwafina em “The Prom”, “Bob Esponja: O Incrível Resgate”, “Breaking News In Yuba County”, “A Pequena Sereia”, “Raya e o Último Dragão” e na série “Awkwafina Is Nora from Queens”.

Leia mais: Globo de Ouro 2020: discursos de vencedoras são os melhores da noite

+ 1917: data de estreia e curiosidades do filme ‘zebra’ do Globo de Ouro

Horóscopo: Previsões astrológicas para todos os signos em 2020

%d blogueiros gostam disto: