Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Antiprincesas: série de livros infantis retrata a vida de Clarice Lispector e Frida Kahlo

E a nova coleção Anti-heróis adapta as histórias de Julio Cortazar e Eduardo Galeano para os pequenos.

Por Júlia Warken - Atualizado em 21 jan 2020, 06h00 - Publicado em 23 ago 2016, 15h18

No ano passado a gente se apaixonou loucamente pelo primeiro volume da coleção Antiprincesas, que falava sobre a vida de Frida Kahlo, lembra? A série de livros infantis é assinada pela escritora Nádia Fink e pelo ilustrador Pitu Saá e foi lançada por aqui pela editora SUR, em parceria com a argentina Chirimbote.

Junto com Frida, a compositora chilena Violeta Parra também já havia ganhado um livro na coleção, falando sobre sua importância na música latinoamericana. Ainda sem tradução para o português, a guerrilheira boliviana Juana Azurduy e a cantora argentina Gilda são outras personagens que tiveram suas biografia lançadas pela série. E agora chegou a vez da nossa querida Clarice Lispector entrar para esse time lindo. 

Divulgação
Divulgação

Clarice nasceu na Ucrânia, mas se naturalizou no Brasil e é uma das mais importantes escritoras da nossa literatura. Teve a infância marcada pela perseguição aos judeus (que fez com que sua família fugisse da Europa) e pela morte da mãe (quando Clarice tinha apenas 8 anos). Ela publicou o primeiro livro aos 23 anos e, dentre suas obras mais célebres estão “A Hora da Estrela” e “A paixão segundo G. H.”.

Apesar de ter morrido cedo, aos 56 anos, a escritora publicou mais de 20 obras, além de crônicas e reportagens. Em maio desse ano, tornou-se a primeira artista mulher a ter uma estátua em sua homenagem na cidade do Rio de Janeiro. Figura forte e determinada, certamente ela merece um lugar ao lado de Frida, Violeta, Gilda e Juana, como uma grande antiprincesa latinoamericana. 

Divulgação
Divulgação

Além da coleção focada em mulheres, os criadores das Antiprincesas também resolveram lançar a série Anti-heróis, que fala sobre homens célebres. A ideia é contar a história de personagens importantes que fogem do estereótipo hipermasculinizado, tão recorrente no imaginário das crianças. Dois escritores já ganharam livros na coleção: o argentino Julio Cortazar e o uruguaio Eduardo Galeano. Segundo a editora SUR, os volumes serão traduzidos para o português em breve.

Para quem quiser conhecer os livros e seus idealizadores mais de perto, Nádia Fink e Pitu Saá vão marcar presença na Bienal Internacional do Livro, em São Paulo, na próxima sexta-feira (26). A sessão de autógrafos está agendada para as 17 horas, no estande da Queen Books (N30) – Pavilhão do Anhembi. 

Continua após a publicidade
Publicidade