CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

29 músicas que você precisa conhecer em 2015

Status: dançando no escritório.

Por Lucas Castilho Atualizado em 21 jan 2020, 22h42 - Publicado em 18 Maio 2015, 18h31

 

1. Drake – “Energy”

O rapper canadense é muito mais do que um rostinho (e que rosto!) bonito, ele é respeitado por suas letras e por invariavelmente fugir dos temas carro + mulher + dinheiro que contaminam o hip hop moderno. Em “Energy”, uma das faixas mais legais da recém-lançada mixtape “If You’re Reading This It’s Too Late”, ele diz ter muitos haters na cola e manda um recado direto para os millenials: existe vida além da internet. E, não, ele não vai passar o código do Wifi.

2. Shura – “2Shy”

Aleksandra Denton (aka Shura) pode até ter nascido nos anos 1990, mas não esconde sua influência oitentista presente em todas as suas músicas lançadas. Fã de Madonna, Smiths, Tina Turner e Elton John, ela foi apontada pela BBC como uma das artistas para ficar de olho em 2015. Em “2Shy”, hino das tímidas, ela abusa dos sintetizadores – lembrando uma Janet Jackson no começo de carreira – e faz a gente pedir mais do seu “awkward-pop”, que é como ela define seu próprio som. 

3. Rihanna – “Bitch, Better Have My Money”

Riri não está para brincadeira e quer o dinheiro dela de volta! Nessa faixa, que recupera o que a cantora sabe fazer de melhor que é o urban e foi deixado para trás no primeiro single “FourFiveSeconds”, a estrela está mais raivosa do que nunca e a produção de Deputy e Kanye West foca no que realmente importa: a marcante voz da princesinha de Barbados.

4. James Bay – “Let it Go”

Novo queridinho dos britânicos, James Bay, vencedor do importante BRIT Awards (aquela premiação que a Madonna caiu!) na categoria escolha da crítica, acabou de lançar o álbum “Chaos and the Calm” e rapidamente ocupou as primeiras posições nas paradas de sucesso. Em “Let it Go”, que em nada tem a ver o clássico homônimo de “Frozen”, ele só quer ser ele mesmo e continuar vivendo sua história de amor. Para ficar de olho – e roubar o chapéu. 

5. FKA Twigs – “Glass & Patron”

Mais artística do que nunca, FKA continua produzindo o seu R&B experimental, continua com letras safadinhas e o registro visual só vem para melhorar a experiência que é escutar as canções da britânica. Muito “voguing”, estilo de dança popularizado pelos gays nova-iorquinos no fim da década de 1980/ início dos anos 1990, muito carão e até um parto bizarro fazem parte do repertório do vídeo da artista.

6. Karol Conká – “Tombei” 

A rapper curitibana pega emprestado da cultura gay o termo “tombar”, que significa arrasar, para criar um hino das pistas. Produzida pelo duo Tropkillaz, a canção fala sobre ser dona do próprio nariz e fazer o que quiser. A gente já escolheu e adotou a música como uma das melhores coisas nacionais apresentadas neste ano e fica no aguardo do álbum da neo-estrela. 

7.  Jamie XX – “Loud Places”

É basicamente uma canção do XX, feita pelos mesmos integrantes do XX, mas lançada no projeto solo “In Colour,” do Jamie, que estreia dia 1 de junho. Isso é rum? De maneira alguma, a música é ótima e faz lembrar o quanto a banda britânica é competente.

8. Disclosure – “Bang That”

Primeiro registro do vindouro segundo álbum da dupla, “Bang That” é bem diferente do que os britânicos apresentaram até agora. Urgente e pesada, experimente ouvir a faixa às 4h00 da manhã na balada porque vai ser sucesso!

9. Years & Years – “Shine”

Vencedores do “Sound of the Year 2015”, espécie de premiação da BBC que já revelou nomes como Sam Smith e Ellie Goulding, o grupo pop logo caiu nas graças dos moderninhos. Com o lançamento do primeiro álbum “Communion”, no próximo dia 10 de junho, eles querem voar mais alto e alcançar um público muito maior. Ah, e a canção “Shine” é incrível, tem potencial de single, e sabe de uma coisa? Tudo o que eles lançaram até agora é sensacional! 

10. Major Lazer – “Lean On”

Produtor com muita credibilidade no cenário mainstream (e um Snapchat ótimo!), Diplo, em “Lean On”, conta com a ajuda dos vocais da dinamarquesa Mø (<3) para criar esse hit que já é sucesso nas pistas e que só não é melhor do que a dancinha do clipe.

11. Florence and Machine – “Ship to Wreck”

Sabe aquele relacionamento que tinha tudo para naufragar e naufragou mesmo? Presente no terceiro álbum de estúdio da cantora, o “How Big, How Blue, How Beautiful, a canção é sobre essa situação que, provavelmente, quase todo mundo já viveu ou vai viver e que com a voz cheia de emoção da cantora deixa a reflexão: “Por que as pessoas se machucam tanto?”

12. Gal Costa – “Quando Você Olha Pra Ela”

No ano em que completa 50 anos de carreira, a grande cantora volta em “Quando Você Olha Pra Ela” para os ritmos mais tropicais, deixados de lado no ótimo e modernoso “Recanto”, de 2011. Escrita por Mallu Magalhães, a canção é pop, radiofônica e só faz crescer a ansiedade pelo CD “Estratosférica”, com lançamento previsto para 26 de maio. A lista de compositores do projeto inclui Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Céu, Criolo e Marcelo Camelo.

13. Justin Bieber, Skrillex e Diplo (Jack Ü) – “Where Are Ü Now”

Justin Bieber está sofrido! Ele te deu carinho quando ninguém mais deu, deu a camiseta dele para aquecer você do frio e agora está sozinho e precisando de atenção. E sabe o que é melhor? Na canção, o astro teen parece mesmo que é um ser humano com emoções reais e não somente um garoto-problema com uma conta bancária maior que o PIB de um país. E não só isso: a faixa é incrível por trazer um novo lado dos energéticos Diplo e Skrillex que, nesse projeto Jack Ü, aparecem minimalistas.

14. Grimes – “Realiti”

Quando uma faixa não-finalizada, a chamada “demo”, é melhor do que muita coisa lançada neste ano só nos resta uma opção: escutar essa canção imediatamente e rezar para que a canadense lance logo um álbum cheio de joias desse tipo.

15. Shamir – “Call It Off” 

Não, o Shamir não roubou o guarda-roupa de Will Smith em “Fresh Prince of Bel-Air”. Ele realmente parece ter saído da parte mais colorida – e diverida – dos anos 1990. Da mesma forma, o som, um house modernoso, produzido por esse garoto de Las Vegas parece encontrar similaridades com essa década. Irreverente, ele, que acaba de lançar o álbum “Ratchat”, é tudo o que a música pop precisa.

Continua após a publicidade

16. Marina and the Diamonds – “I’m Ruin”

Não é por motivos de que ela deu o cano nos fãs brasileiros que vamos deixar de gostar de sua música. Boa letrista, a cantora já não quer mais saber do boy, mas não consegue largá-lo (quem nunca?) no single de “I’m Ruin”, presente no ábum “Froot” e que começa a fazer sucesso nos Estados Unidos, maior mercado consumidor do mundo. Produzida pela própria artista em parceria com David Kosten, a faixa é uma das melhores do CD e se destaca, claro, pela letra e pelos synths e pela bateria bem marcada. 

17. Soko – “Who Wears the Pants?”

Ela é francesa, ela é atriz e ela é supercool! Quer mais? Ela escreveu esse hino feminista aqui embaixo:

18. Terno Rei – “Trem Leva Minhas Pernas”

Presente no EP homônimo, “Trem Leva Minhas Pernas” impressiona pela delicadeza. Pra ficar de olho e acompanhar o trabalho da banda paulistana.

19. Giorgio Moroder e Sia – “Déjà Vu”

Lenda da dance music, o italiano Giorgio Moroder voltou aos holofotes após colaborar no álbum-hit “Random Access Memories (2013)”, do Daft Punk. Agora, em vias de lançar seu primeiro álbum em anos, ele se une a uma das maiores compositoras da atualidade para essa faixa setentista que vai fazer você querer tirar um look de paetês do armário e se jogar na balada como se não houvesse amanhã. Mas é ok também fazer isso no conforto do seu lar! 🙂

20. Run the Jewels – “Early”

Essa é uma importante canção que fala dos abusos policias cometidos principalmente contra os negros nos Estados Unidos. Presente no aclamado álbum “Run the Jewels 2”, de 2014, a faixa ganhou lyric video recentemente não por acaso, mas para chamar atenção para os protestos em Baltimore, que explodiram após a morte de Freddie Gray, jovem negro de 25 anos que foi ferido enquanto estava sob custódia policial. “Eu e @KillerMikeGTO esperamos o momento certo para lançar isso. Então percebemos que (infelizmente) sempre será a hora certa”, escreveu El-p no Twitter.

21. Madonna – “Bitch I’m Madonna”

Mais agressiva do que nunca, a rainha não tem meias palavras: ela é f*da e ponto e a canção é basicamente sobre isso e festejar como se fosse 1989 (sorry, Taylor!). Produzida pelo Diplo, a música é um EDM nervoso cuidadosamente arquitetada para cair no gosto – e ouvidos – dos “novinhos”. Mas o melhor da música fica por conta mesmo da participação energética da Nicki Minaj e o ótimo verso “It’s that go hard or go home zone, bitch. I’m Madonna, these hoes know”, algo como “Aqui é a zona ‘Vá até o fim ou volta pra casa, querida’. Eu sou a Madonna, essas gatas sabem”. 

22. The Knocks – “Collect My Love”

Como essa canção ainda não é um hit?

23. Kehlani – “You Shoud Be Here”

Aos 20 anos, ela tem voz da Demi Lovato e a atitude agressiva da Rihanna. Seu recém-lançado álbum “You Should Be Here” foi sucesso de crítica nos Estados Unidos e ela foi apontada pela Billboard como a “salvação do R&B”em 2015. Forte, hein?! Nosso verso favorito da música? “Your body is here, but your mind is somewhere else”, algo como “Seu corpo está aqui, mas sua mente em outro lugar”. 

24. Mark Ronson – “Feel Right” 

Sabe o hit “Uptown Funk”? Entao, ele já virou semana passada! Saem os vocais radiofônicos do Bruno Mars, entram os versos certeiros do rapper Mystikal. Nossa aposta? Vai tocar muuuito no rádio!

25. Alessia Cara – “Here”

Essa canadense com apenas 18 anos é dona de uma poderosa voz soul que possivelmente fez os olhos dos grandes empresários da música brilharem. Resultado: um contrato com a gigante Def-Jam, importante gravadora norte-americana! Na delicada “Here”, canção feita especialmente para os que resolveram sair de casa para tentar a sorte e viram que foi a pior escolha possível, a produção faz uso de um sample de “Ike’s Rap 2″, do Isaac Hayes (lembra do hit do Portished “Glory Box”?) e deixa a gente, assim, ba-ban-do, pela voz da mini diva. 

26. Mumford & Sons – “Believe”

Primeiro single do álbum “Wilder Wind”, a canção abandona de vez o banjo (ahhh!) e mostra um lado mais Coldplay da banda inglesa. Muitos podem torcer o nariz, mas a única coisa que importa? A música é boa! 

Alguém mais achou que o clipe foi inspirado em “Open Your Eyes“, do Snow Patrol?

27. Beck – “Country Down”

O cantor não bateu Beyoncé no Grammy por acaso, o disco “Morning Phase”, vencedor na categoria álbum do ano, é verdadeiramente uma joia e o mais recente single “Country Down” é só um petisco do que o CD tem de melhor: sensibilidade e boas letras.

28. Wolf Alice – “Giant Peach”

A vocalista Ellie Rowsell, de 22 anos, parece uma supermodelo que resolveu atacar de DJ. Mas não se engane: no projeto Wolf Alice, ela é uma roqueira grunge de responsa com vocais totalmente anos 1990 e que merece sua atenção. Comece a conhecer o trabalho da futura rockstar por essa faixa!

29. Taylor Swift – “Bad Blood”

Essa música traz simplesmente o clipe que já pode ser considerado o mais esperado de 2015! Cara Delevingne, Lena Dunham, Selena Gomez e Kendrick Lamar só para citar alguns fazem figuração de luxo no vídeo.  Além disso, está presente no álbum + comentado e + vendido do ano passado e caso isso não convença você a escutar a canção, não tem problema: nos próximos meses ela vai tocar tanto nas rádios que aí, sim, você terá motivos para odiá-la. Ou não. 

Quer mais? Segue a nossa playlist no Spotify! <3

[spotify id=”spotify%3Auser%3A12142394195%3Aplaylist%3A2tunhtFngiP6hEARx3ORHK” width=”300px” height=”380px” /]
Continua após a publicidade

Publicidade