Clique e assine com até 75% de desconto

Laranja, invisível e submarino: 6 tendências para quem ama vinhos

Separamos só os vinhos diferentões que você precisa provar ainda este ano!

Por Fernanda Tsuji Atualizado em 15 jan 2020, 13h39 - Publicado em 4 jul 2019, 18h55

Se existe um match perfeito nesta vida é a dupla inverno + vinho. Uma taça com o mozão ou na companhia de gente querida pode curar qualquer dia ruim, não é? Se pra você também é assim, bem-vinda ao clube! O Brasil ocupa a 17ª posição num ranking de 29 países que mais consomem vinho no mundo. A nossa média costuma ser de duas garrafas anualmente por pessoa, mas os especialistas acreditam que, em 2030, o país ocupará o quinto lugar no ranking dos maiores compradores da bebida. 

Claro que você deve ter o seu preferido, mas não custa nada ficar de olho nas tendências de 2019 que foram apresentadas na Wine Weekend, a maior feira de vinhos do Brasil. Quem sabe você descobre um rótulo que vale a pena experimentar? Este perfil mais “curioso”, de testar novos rótulos e sabores inusitados, é bem a cara da brasileiro, segundo uma pesquisa recente do Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho).

A seguir, separamos seis tendências para você se aventurar:

Vinhos Orgânicos

A valorização dos alimentos orgânicos também chegou no campo das bebidas. De acordo com o relatório da Wine Intelligence, consultoria britânica que prepara as previsões para o mercado de vinho, as grandes apostas para este ano são os vinhos orgânicos e veganos.

Ué, mas onde está a diferença? Basicamente, são bebidas produzidas a partir de uvas de cultivo orgânico, ou seja, que não utilizem agrotóxicos e compostos químicos, como fertilizantes e pesticidas. O controle das pragas é feito com produtos naturais e é respeitada a saúde do solo. Assim, os nutrientes chegam às videiras sem sofrer danos na sua composição.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

É um vinho muito bem elaborado, delicado com tons que colorem a mesa e a vida. Versátil, fresco e perfumadíssimo que harmoniza com todos os pratos. . . . #Vinhos #HispaniaVinhos #Brasil #España #SaoPaulo #Comida #Bebidas

A post shared by Hispania Vinhos (@hispaniavinhos) on

La vida en rosa – Orgânico de la mancha- R$ 77

Vinhos veganos

Mas peraí, todo vinho não é vegano? A resposta é não. Ele pode ou não ser orgânico, mas a diferença está em outro fator. Segundo o enólogo Fábio Góes, normalmente, o vinho comum é filtrado e clarificado pra retirar as substâncias que podem deixá-lo turvo e com sedimentos. Acontece, que neste processo são usados algumas substâncias de origem animal como albumina de ovo ou gelatina animal, que funcionam como “imãs” que retiram estes sedimentos. Já nos chamados veganos, os clarificantes são substituídos por outras alternativas vegetais, como proteína de ervilha, ou de origem mineral como bentonite (mistura de argilas).

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Um vinho que está no auge dos grandes vinhos do mundo, Avañate 100% Espanhol Já experimentou? #Avañate #Vino #VinoTinto #Bebida #HispaniaVinhos #Vinhos #Espanha #España

A post shared by Hispania Vinhos (@hispaniavinhos) on

Avañate Ribera del Duero Ecológico- R$ 154*

Vinhos Biodinâmicos

Tá, e o vinho biodinâmico, o que seria? É como se fosse um aprofundamento da agricultura orgânica, buscando mais harmonia com a natureza, observando as fases da lua e utilizando apenas os recursos da propriedade em que está sendo produzido. Datado de 1920, o termo “biodinâmica” é uma maneira de pensar e consumir o que provém da natureza, de acordo com os ensinamentos do filósofo austríaco Rudolf Steiner.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Um belo e saboroso vinho branco que compramos da @weinkeller_vinhos_alemaes em uma feira de vinhos e que servimos ao lado de três pratos muito gostosos! Confira a degustação no link da bio! (Continua) #vitrinedosvinhos #blogdavitrine #vinhobranco #vinhoalemao #pfalz #riesling #klosterheilsbruck

A post shared by Vitrine dos Vinhos (@vitrinedosvinhos) on

Kloster Heilsbruck Riesling Spätlese trocken –  R$189 

Vinho Cor de laranja

Você já viu vinho cor de laranja? Além de lindo, ele tem tudo pra virar um hit. A cor belíssima deste vinho é resultado de um processo em que o suco da uva fica em contato com as cascas da fruta macerada durante um tempo determinado. Segundo o enólogo, é um vinho do tipo “ame ou odeie”.

E o surpreendente deste vinho não é só a cor, mas a intensidade que você sente no nariz e na boca, por conta do tanino.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Vinho encorpado que expressa bem sua tipicidade varietal. . Tem notas de especiarias, aromas de frutas amarelas de caroço, além de toques de baunilha e leve tostado, um sabor agradável e persistente. Graças ao estágio de maturação em barricas de carvalho, este vinho revela-se rico e complexo. Vai muito bem com saladas, creme de aspargos e pratos de longa cocção, experimente!!! . 📍Rastreamento do vinhedo: 49.15.326, nome do vinhedo: Busek . . #sevennumbers #pinotgrigio #vinho #wine #winetasting #winetime #winelovers #sommelier #vinhos #whitewine

A post shared by Puklavec Family Wines Brasil (@puklavecfamilywinesbrasil) on

Pinot Grigio Puklavec Family Wine- R$ 199*

Vinho Invisível

A graça deste vinho é que ele é totalmente translúcido, realmente parece água. Para entender como ele é feito, é preciso antes, uma explicação sobre o processo básico dos vinhos. A coloração vermelha dos tintos e rosés é dado por conta da casca da uva, já que a fruta é sempre branca por dentro. Nos vinhos brancos, a prensagem retira o suco e as cascas são descartadas, enquanto no tinto, elas fermentam com o suco.

A diferença do tipo invisível é que ele é um vinho branco, feito a partir de uvas tintas. As frutas são colhidas durante a noite e com temperaturas bem baixas. “Semi-congeladas”, as cascas são retiradas manualmente e o líquido não adquire a coloração delas, que são imediatamente descartadas. Assim, a bebida fica completamente transparente e não esverdeada como os vinhos brancos.

Quem experimentou garante que é fresco e com aromas de pêra, lima, chá de hortelã e um toque de maresia. Uau! Já queremos provar!

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Vinho Invisível. . #vinhoinvisivel #ervideirawines #ervideirapelomundo

A post shared by Ervideira pelo Mundo – Brasil (@ervideira_br) on

Vinho Invisível Ervideira – R$ 203,91*

Vinho submarino e com envelhecimento embaixo da água

Sim, existe um vinho que é envelhecido em um armazém especial debaixo do lago Alqueva, em Portugal. A produtora vitivinícola Ervideira produz esta bebida através de um processo inovador, mas que tem origem antiga. Ele foi pensado por conta dos barcos que transportavam álcool e acabavam naufragados, ficando as bebidas submersas por anos até serem encontradas.

No caso dos vinhos atuais, eles passam um total de 20 meses debaixo da água, sendo uma parte em barrica sem nenhum contato com a luz, e outra parte engarrafados.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Alqueva vinho da Água…Conde D'ervideira…o vinho que esteve debaixo das águas de Alqueva…cheers to this amazing wine… #torrevascodagama #whitewine #wine #wines #winelovers #lisbon #lisboa #lisbonlovers #winewinewine #winewithfriends #ilovewine #wineisfine #winelife #amovinho #ervideira #condedervideira #vinhodaagua #winewednesday #winewine #vinho #wein #adega #vino #soomelier #winery #winetastings #winetasting #soomelier #grapes

A post shared by José Eduardo Oliveira (@joseeduardooliveira) on

Conde D’Ervideira Vinho D’Água – R$ 312,18*

Já os submarinos, passam por processos de fermentação envelhecidos no mar, o que dá um caráter salino ao vinho.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

Habla Del Mar el vino submarino. Tras largos meses fermentando a 15 metros bajo la Bahia de San Juan de Luz, lo podemos disfrutar de nuevo. A partir del día 22 de mayo disponible en #mendezleon @mendez_leon #habladelmar #rutadelosvinosoviedo #vino #gijonenvino #wine #winelover

A post shared by Mendez Leon (@mendez_leon) on

Habla del mar – Preço sob consulta

*Preços consultados em junho/julho

Continua após a publicidade
Publicidade