Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Dani Moraes

Dani Moraes é escritora, jornalista e especialista em escrita terapêutica
Continua após publicidade

Escrever oxigena o cérebro

Como creio em vida após a morte, reencarnei em palavras

Por Dani Moraes
4 Maio 2023, 10h04

Como dizia o Belchior, eu tinha “25 anos de sonho, de sangue e de América do Sul”. Estava casada, pagava boletos e tinha um blog chamado “A dor e a delícia de ser o que é”. No meu post inaugural, disse que me sentia antiga, “da época do Telex”, e confessei que nunca havia publicado textos pessoais na internet.

Era 2006, eu sabia que minha parte “delícia” era escrever, ainda que a experiência profissional como jornalista já tivesse asfixiado em parte a minha escrita autoral. O blog durou 6 anos. A última publicação foi uma letra de música do Herbert Vianna que diz: “e tudo muda, adeus velho mundo”. A canção de despedida marcava ali a dor “de ser o que é” no exato dia seguinte à morte da minha mãe.

Por coincidência, daquelas que só Freud explica, um mês depois eu lançava meu primeiro site pessoal, batizado de “Cara de Mãe”. Era um portal onde escrevia sobre maternidade. Havia colunistas, informações sobre gestação, parto humanizado e amamentação – frutos de um mergulho que começou após o nascimento da minha primeira filha.

Aquele foi o ano em que perdi o chão, a mãe, o emprego e todas as certezas. Por algum tempo escrevi, apesar dos escombros. Pouco a pouco, o silêncio foi se impondo à mim. Eu me questionava: tinha mesmo algo a dizer? Num café com uma conhecida jornalista entrei em apneia ao ouvi-la dizer: “um site dificilmente te dará dinheiro”, “pra funcionar você precisará escrever muito e muito bem” e “fazer publicidade para marcas desalinhadas com seus valores”. Saí da padaria molhada, e a água era fria.

Continua após a publicidade

Logo descobri que temer era um atalho para realizar profecias, e medo não me faltava. Tinha medo da exposição, do julgamento externo, do confronto com minha própria autocrítica. Medo de ficar aquém ou, pior, de ir além. Dominada por um conhecido censor interno, severo, me calei. Parei de escrever. Tirei o site do ar. Assumi um cargo público no ano seguinte.

Sem ar, vez ou outra, a escrita me tomava por arrebatamento, desejo de esvaziar, necessidade ou impulso. Era preciso oxigenar o cérebro, organizar o pensamento, ditar ritmo ao coração, fazer circular a energia vital. O processo de desenhar letras acontecia sem ritual, em qualquer bloco de notas ou folha de rascunho pelo caminho. Daquelas páginas soltas – rascunhadas no ônibus, nas horinhas de descuido ou de almoço – surgiam vestígios de uma nova história. Tudo o que a princípio soava como lamento foi se abrindo em fendas, portais de entendimento, vozes há tanto caladas – da dor ao desejo.

Estava, enfim, processando o luto da minha mãe, da mãe que me tornei, da mãe que nunca tive nem seria, dos sonhos que abandonei, de um corpo de mulher que precisava renascer. E como creio em vida após a morte reencarnei em palavras. Primeiro, era o verbo. Hoje inflo os pulmões, dou passagem ao ar que, por entre cordas vocais, se torna voz. Acolho a solidão no papel, traço sentidos e liberdades e passo a limpo recém-nascidas inspirações. Agora escrevo (e respiro) profundamente.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.