Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Denise Steiner

Por DERMATOLOGIA
A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp
Continua após publicidade

Cravos na pele: o que são e como tratá-los

Vamos entender de uma vez por todas o que são os cravinhos na pele

Por Denise Steiner
Atualizado em 24 abr 2023, 18h16 - Publicado em 1 set 2022, 08h01

O cravo é uma lesão que se forma no folículo pilossebaceo por excesso de produção de sebo e causa entupimento dos ósteos da pele. Na superfície cutânea, eles podem aparecer como pontos pretos ou amarelados. Os cravos podem ainda inflamar e virar espinhas, pústulas, nódulos e até abcessos.

Como os cravos se formam

A produção de sebo ocorre pela glândula sebácea sendo de dentro para fora, e a formação dos cravos ocorre mais na pele oleosa por conta de uma produção mais intensa. Ela é controlada pela produção hormonal, principalmente pelos andrógenos, que são hormônios produtores de testosterona. Na puberdade, tanto homens como mulheres começam a produzir esses hormônios que estimulam a formação de sebo pela glândula sebácea.

O rosto tem uma quantidade maior de glândulas sebáceas, principalmente na zona T da face. Vale dizer também que algumas doenças hormonais, como ovários policístico, hiperplasia da suprarrenal e também tumores, podem facilitar o aparecimento de cravos e espinhas. Além disso, alguns remédios e suplementos, como corticoides e whey protein, podem facilitar o aparecimento dos cravos ou comedões.

E como tratar os cravos?

O tratamento do excesso de cravos deve ser de dentro para fora, e não adianta esfoliar o rosto para diminuir a sua produção. Quando a pele fica machucada ou irritada, o problema fica ainda mais agravado pelo efeito rebote.

Os cremes a base de ácido retinóico, retinol e adapaleno, no entanto, podem diminuir a formação de cravos. Em determinadas situações, o médico pode tratar com medicações internas como a isotretinoína. 

Continua após a publicidade

A limpeza diária deve ser suave, com sabonetes com ácido salicílico ou glicólico. Evite irritar a pele com esfoliações exageradas e use filtro solar adequado para peles oleosas. Já a limpeza de pele feita por profissionais habilitados, de forma suave, a cada 2 meses, é outro cuidado que pode ajudar a diminuir essa produção.

Probióticos específicos também podem auxiliar, assim como vitamina A e zinco, se ingeridos em doses corretas. A dieta deve evitar alimentos inflamatórios como leite, trigo, açúcar e privilegiar verduras verdes. Os suplementos da proteína do leite, como whey protein, assim como suplementos de vitamina B, devem ser evitados.

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.