Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Ana Claudia Paixão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

A jornalista Ana Claudia Paixão (@anaclaudia.paixao21) fala de filmes, séries e histórias de Hollywood
Continua após publicidade

Operação: Lioness bate recordes e traz Zoe Saldaña em papel marcante

Atriz lidera um elenco feminino de peso em uma história que é vagamente inspirada em uma operação real da CIA e que é hoje uma das mais assistidas do ano

Por Ana Claudia Paixão
4 ago 2023, 10h54

Juro que já tinha me comprometido de comentar sobre a série Operação: Lioness antes da notícia da semana que confirma o sucesso: quase 6 milhões de visualizações na Paramount + ao redor do mundo fazem da série uma das mais assistidas do momento. E te digo: vale cada minuto.

Estrelada por de Zoe Saldaña e Laysla DeOliveira, a série tem como coadjuvantes astros do calibre de Nicole Kidman e Morgan Freeman, confirmando o prestígio do showrunner Taylor Sheridan, que vem trabalhando com maior frequência com os maiores astros de Hollywood. Podemos afirmar que ele que é um dos melhores roteiristas do momento em Los Angeles e assina ótimos suspenses: Sicario e A Qualquer Custo (Hell or High Water) que, assim como Sicario, teve indicação ao Oscar; Terra Selvagem (Wild River); Sem Remorso; Tulsa King; The Mayor of KingstownYellowstone1883 e 1923. Perdeu o fôlego? Aposto que sim. Com o sucesso combinado de 1883 (mais de 2 milhões de viewers)eOperação: Lioness, ele tem a liderança absoluta de público em 2023.

Zoe Saldaña em Operação: Lioness
Zoe Saldaña interpreta Joe, uma agenda da CIA que busca equilibrar vida pessoal e profissional. (Paramount+/Divulgação)

Quem o acompanha sabe que os conteúdos de Sheridan têm um lado de western que se pensaria mais adequado para o público masculino, mas ele sempre inclui personagens femininos fortes e complexos, por isso é gostoso ver que a química entre o trio principal de Operação: Lioness funciona tão bem. A operação “Leoas” é inspirada em um programa real da CIA, que foi criado para realizar buscas culturalmente sensíveis sobre mulheres hijabi no Iraque e no Afeganistão e que aqui foca nas mulheres selecionadas pela agência de inteligência americana para se infiltrar no âmbito familiar de perigosos terroristas.

Continua após a publicidade

Como agentes disfarçadas elas correm seríssimo risco de vida, porque é praticamente uma operação de suicidas, como descobrimos bem cedo. O curioso é que o showrunner não iria se envolver com o projeto além da proposta original, dando o controle da série para Thomas Brady, mas quando Thomas se desentendeu nos bastidores e saiu, forçou a presença do próprio Sheridan, que agora assina todos os episódios. Bom pra gente!

Nicole Kidman na série operação: lioness
Nicole Kidman como Kaitlyn Meade. (Divulgação/Divulgação)

Nicole Kidman, com sua voz soturna e sussurrada que vem marcando os últimos papéis de sua carreira, é Kaitlyn Meade, a chefe de Joe (Zoe Saldaña), que tenta com muito custo equilibrar sua vida pessoal e profissional como líder de uma das operações da CIA na guerra contra o terror. Depois de ter que encontrar uma substituta para encobrir a agente que perde em campo (preparem o estômago, porque a abertura da série e é de deixar a gente sem ar), Joe alista a agressiva fuzileira naval chamada Cruz (Laysla De Oliveira) com a missão de fazer amizade com a filha de um bilionário ligado a grupos terroristas. Todos estão correndo contra o relógio para frustrar a tentativa de repetir o abarquede 11 de setembro.

Continua após a publicidade

Em uma narrativa não linear, acompanhamos como Cruz – uma mulher abusada psicologicamente e fisicamente – é a pessoa ideal para a Operação, assim como vemos que, para sobreviver, Joe (Zoe Saldaña) tem uma vida paradoxal com marido e filhos, sem se conectar com ninguém em particular. Tudo é extremamente convincente e a falta de confiança mútua é necessária, justificada e se transforma rapidamente em um elemento incômodo que nos deixa adivinhando o que pode acontecer. Típico Sheridan, com personagens duras, determinadas e expostas à cenários perigosos, já está claro que as duas terão que tomar algumas decisões extremadas mais à frente.

Nos três episódios, Operação: Lioness foi tudo menos obvia, e o que a torna ainda mais interessante é que é uma série de espionagem e ação crível, mas com protagonismo feminino. Serão apenas oito episódios, ou seja, mais uma vez algo curto, mas poderoso. Recomendo acompanhar!

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

O mundo está mudando. O tempo todo.
Acompanhe por CLAUDIA e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.

Acompanhe por CLAUDIA.

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.